Arcoverde: Justiça aciona Polícia Federal para investigar compra de votos

Passadas as eleições, a “broncas” para o candidato eleito, Wellington Maciel (MDB), não pararam com o resultado do último dia 15 de novembro. Afora a decisão pela impugnação da chapa governista, que terá o recurso julgado pelo TRE, agora a Justiça Eleitoral acolhendo parecer do Ministério Público Eleitoral determinou a Polícia Federal a instauração de inquérito no prazo de 30 dias para investir a prática da compra de voto nas eleições de Arcoverde. 

A questão foi analisada na representação apresentada na Justiça Eleitoral pela Coligação Muda Arcoverde, na qual através de vídeos e fotos, foi flagrada a distribuição de marmitas pela Diretora da Policlínica Municipal Rita Lima, no Residencial Maria de Fátima Freire, em horário de trabalho, utilizando roupa na cor verde, a mesma da campanha de Wellington da LW e do Delegado Israel.

Durante a tramitação do inquérito, além de Rita Lima, serão objeto de investigação a Prefeita Madalena Britto (PSB) e os candidatos eleitos que a mesma apoiou, já que foram citados na Representação Eleitoral. Após a apuração pela Polícia Federal e contatada a compra de votos, os responsáveis serão indiciados e responderão pela prática de crime eleitoral. Caso condenados, poderão sofrer a pena de até quatro anos de reclusão, com perdas dos direitos políticos e das funções públicas exercidas.

Após a determinação do Juiz da 57a. Zona Eleitoral, Draulternani Pantaleão, a Chefe do Cartório Eleitoral, Jaqueline Feitoza da Silva enviou ofício à Delegacia da Polícia Federal de Caruaru, nesta sexta-feira (04), encaminhando o processo para fins de instauração de inquérito policial no prazo de 30 dias. (A Folha das Cidades)

Siga o Instagram de Romero do Mais Pajeú: CLIQUE AQUI
Siga o Instagram do blog: CLIQUE AQUI
Siga nossa página no Facebook: CLIQUE AQUI e AQUI
Siga nosso canal no YouTube: CLIQUE AQUI
Entra no nosso grupo no whatsapp: CLIQUE AQUI

Postar um comentário

0 Comentários