Justiça nega pedido para tirar do ar vídeo que denuncia tortura do delegado Israel Rubis em Arcoverde

O juiz eleitoral da 57ª Zona, em Arcoverde, Dr. Drauternani Pantaleão, negou pedido de liminar apresentada pela Coligação União por Arcoverde, que tinha por objetivo retirar postagem da influencer digital Ilza Sincera sobre suposta fake News. Ilza postou o vídeo a onde a jovem Keila Andrade denuncia a prática de tortura que teria sido patrocinada pelo candidato a vice-prefeito da chapa de Wellington da LW, Delegado Israel.

Na ação, a filha da prefeita Madalena Britto, Andreia Britto, que assina a representação eleitoral, alega que Ilza Sincera “divulgou vídeo em sua página do facebook com a propagação de notícias falsas em desfavor do Sr. Israel Rubis, inclusive, imputando-lhe a prática de diversos crimes, como abuso de autoridade e tortura, com o objetivo de desconstituir a popularidade do candidato que é Delegado de Polícia, caracterizando, assim, propaganda ilícita”.

Na decisão, o juiz Dr. Drauternani Pantaleão, afirma que não “se encontram presentes os requisitos legais necessários ao deferimento da medida antecipatória”, pois verifica-se no vídeo postado nenhum elemento de cunho político eleitoral, mas tão somente críticas e denúncias à suposta prática de tortura e abuso de autoridade no exercício da função de Delegado de Polícia quando do seu exercício nesta cidade.

O juiz ainda ressalta na sua decisão que negou o pedido do delegado Israel, acusado de tortura, que do print da página do Facebook da “Representada ILZA SINCERA apenas se verifica a reprodução do mencionado vídeo, que, aliás, já era do conhecimento público, haja vista ter sido objeto de matéria jornalística publicada no dia 24 de setembro do corrente ano no Blog do Jornalista Magno Martins”.

Postar um comentário

0 Comentários