O vereador Pedro Marconi de Souza Barros (PTC), da cidade Brejo da Madre de Deus, foi autuado por homicídio culposo e lesão corporal culposa após colidir com cerca de 30 motociclistas na rodovia PE-96 em Água Preta, na Mata Sul de Pernambuco. A informação foi divulgada na manhã desta segunda-feira (24) pela delegada Juliana Bernart, que está conduzindo o caso.

O G1 procurou, por telefone, o vereador, a assessoria e o advogado dele para comentar o assunto. Até o momento da publicação, nenhum deles atendeu à reportagem. Também por telefone, o G1 conversou com o presidente estadual do PTC, Fábio Bernardino. "Não tínhamos conhecimento que ele estava nesse acidente, mas sentimos muito pelas vítimas. Vamos esperar o encaminhamento da Justiça para esclarecer mais informações", disse.

Barros dirigia uma caminhonete no momento do acidente, que ocorreu no último domingo (23), e deixou cinco pessoas mortas. Se for condenado, ele pode ter de cumprir pena de até seis anos de prisão.

Segundo a delegada, testemunhas sobreviventes disseram que o vereador estava em alta velocidade e fez uma ultrapassagem indevida. Ao G1, Bernart informou que o velocímetro do automóvel parou em 110 km/h.

"O caso não cabe dolo, porque dolo é quando há intenção de matar. Mas pode caber dolo eventual [quando o motorista assume o risco, de acordo com o Código Penal] durante as investigações. Tudo vai depender do resultado da perícia", explicou a delegada.

O vereador foi submetido ao teste do bafômetro, e o resultado apontou que não houve consumo de álcool. A delegada também pediu exames toxicológicos, mas o resultado ainda não foi divulgado. Barros vai passar por audiência de custódia nesta segunda-feira, informou Bernart. (G1 PE)