Jovem negro é agredido em shopping e diz ter sido confundido com ladrão; veja vídeo

A Polícia Civil do Rio de Janeiro apura um caso de agressão a um jovem negro no Ilha Plaza Shopping, localizado na Ilha do Governador, bairro da zona norte da capital fluminense.

De acordo com a Polícia Civil, uma investigação foi aberta na 37ª Delegacia de Polícia. A vítima deve ser ouvida ainda nesta sexta-feira 7. Os investigadores também afirmam que buscam testemunhas e solicitaram imagens do circuito interno do shopping.

Segundo informações da TV Globo, o jovem se chama Matheus Fernandes, tem 18 anos e trabalha como entregador. À emissora, ele relatou que tinha ido a uma unidade das lojas Renner para trocar um relógio que havia comprado para o pai.

Conforme relatou o jovem, ele teria sido confundido com um ladrão dentro do shopping e foi agredido e imobilizado por dois homens, que se identificaram como policiais militares. Em entrevista à Globo, a mãe da vítima, Alice Fernandes, afirmou que ele foi vítima de racismo.

O vídeo do episódio circula na internet. Nas imagens, um homem de camisa vermelha aparece imobilizando o jovem, que está no chão. Outro homem de camisa preta acompanha a ocorrência. O jovem afirmou ter sido ameaçado com uma arma. Pessoas ao redor protestam contra os agressores. Em seguida, um segurança do shopping chega ao local, mas não acode a vítima.

Nas redes sociais, as lojas Renner afirmaram que os agressores não integram o quadro de colaboradores ou de prestadores de serviço da empresa. A nota também diz que “violência é crime” e diz que a companhia está à disposição da família. Além disso, declararam que estão tomando medidas “para esclarecer o caso, bem como apoiar o Matheus nesse sentido”.

Em nota a CartaCapital, a Renner disse que já fez contato com a família de Matheus Fernandes. Confira, a seguir, o posicionamento na íntegra da empresa.

“Lamentamos profundamente o episódio de agressão ocorrido no shopping Ilha Plaza, fora da nossa loja. Repudiamos e não compactuamos com qualquer forma de preconceito, discriminação e violência. Estamos tomando as medidas necessárias para esclarecer o caso e já fizemos contato com a família do Matheus Fernandes para dar a ele o suporte necessário.

A Renner reitera que a agressão aconteceu fora da loja. No nosso processo de apuração interna, ficou claro que os agressores não integram o nosso quadro de colaboradores ou de prestadores de serviço.

Pedimos esclarecimento ao shopping para entender o que ocorreu e o motivo pelo qual o cliente foi retirado de forma agressiva da nossa loja. Também estamos colaborando com as autoridades e já fornecemos as imagens de nosso circuito interno de TV.”

Em nota, a Ilha Plaza Shopping disse que os agressores não são funcionários da empresa e manifestou solidariedade ao cliente. Confira, a seguir, a nota na íntegra do shopping carioca.

“O Ilha Plaza Shopping repudia qualquer tipo de violência ou discriminação, lamenta profundamente o ocorrido na noite de ontem e se solidariza com o cliente Matheus Fernandes. Neste momento, está adotando todas as medidas necessárias para colaborar com as autoridades.

O Ilha Plaza Shopping é um estabelecimento familiar conhecido por ser um ambiente pacífico, democrático e seguro. Nenhum tipo de violência ou ato de racismo e preconceito são tolerados dentro de nossas dependências.

O Ilha Plaza ratifica que os agressores não são funcionários do shopping. O vigilante do Ilha Plaza (que aparece uniformizado no vídeo) atuou de forma a contornar pacificamente a situação a fim de preservar não apenas o cliente, como também todas as pessoas que lá se encontravam.

O shopping ainda não teve acesso às investigações da Polícia Civil.” (Carta Capital)

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Triste isso viu. Agora da onde saiu a informação que era um roubo pra esses caras agir dessa forma? Tem algo estranho nessa história.

    ResponderExcluir