Pesquisa com Adolescentes com Diabetes Mellitus Tipo 1 (DM1)

Contribua com o avanço da pesquisa científica no Brasil, o Laboratório de Neurociência Cognitiva da Universidade Federal de Pernambuco (LNeC-UFPE) está desenvolvendo uma pesquisa com adolescentes com Diabetes Mellitus Tipo 1 (DM1). A pesquisa objetiva avaliar um conjunto de habilidades cognitivas, como memória, controle de comportamentos, adaptação a mudanças e planejamento, verificando se variáveis clínicas do DM1, como mal controle glicêmico, baixa adesão ao tratamento e idade de diagnóstico, podem estar relacionadas com comprometimentos cognitivos. Toda avaliação acontecerá através de questionários e jogos on lines. Por isso, poderão participar adolescentes com Diabetes Tipo 1 (DM1) de todo o Brasil, já que será feita virtualmente. 

No entanto, há alguns pré-requisitos para participar da pesquisa: 
(1) ter entre 13 e 16 anos; 
(2) ter diagnóstico de DM1 por no mínimo 6 meses; 
(3) ter computador/notebook com acesso a internet.

Por que avaliar essas habilidades?
Esse conjunto de habilidades cognitivas permitem a regulação de pensamentos, ações e emoções, orientando o comportamento para estabelecer e cumprir objetivos. Estão relacionadas à capacidade humana de solucionar problemas, gerenciar o tempo, planejar atividades, raciocinar e tomar decisões. Pessoas com melhor pontuação nessas habilidades apresentam melhor desempenho acadêmico e profissional, menores taxas de abuso de substâncias psicoativas, melhores índices de qualidade de vida e de autocuidado.

E qual a relação dessas habilidades cognitivas com o DM1?
Essas habilidades demonstram estar altamente relacionadas a comportamentos de saúde/autocuidado, sendo indispensáveis para o manejo clínico ideal de qualquer disfunção crônica. Nesse contexto, evidências de estudos sistemáticos demonstram que a variabilidade glicêmica, ocasionada pelo DM1, está relacionada ao surgimento de disfunções cognitivas. Tal problema se torna mais prejudicial em crianças e adolescentes com DM1 por estarem em período crítico do desenvolvimento do sistema nervoso central (SNC).

Mas qual a importância da pesquisa???
Estudos dessa natureza são escassos na literatura, principalmente no Brasil, e podem auxiliar na compreensão de disfunções cognitivas associadas ao DM1 e orientar ações que minimizem os comprometimentos dessa condição endócrina.

Para participar e obter mais informações, entre em contato com:

Leandro Bezerra
Whatsapp: (87) 9 9949-3500
E-mail: leandro.sbezerra@ufpe.br
Instagram: leeandro.sb ou lnec.ufpe

Postar um comentário

0 Comentários