Flagras de descumprimento de decreto estadual em Serra Talhada, Iguaracy, Flores, Triunfo e Santa Cruz

Serra Talhada -
Durante rondas, Policiais Militares do 14° BPM visualizaram quando um indivíduo em uma motocicleta Honda/CG 125 de cor vermelha recebeu um capacete e devolveu dinheiro a um passageiro. Que ao ser abordado, o condutor do referido veiculo disse que estava trabalhando de moto taxista, descumprindo decreto estadual, sendo conduzido juntamente com o veiculo apreendido até a Delegacia de Polícia local e submetido a um TCO.

Iguaracy - O efetivo do 23º BPM foi solicitado para dar apoio a vigilância sanitária para averiguar uma ocorrência de descumprimento do Decreto Estadual referente ao COVID-19. Ao chegar ao local observaram o estabelecimento "Bar de Cícero" aberto com som em altura mediana e com aglomeração de pessoas, as quais se evadiram. Diante dos fatos, o  dono do bar foi conduzido à Delegacia de Polícia local, onde responderá a um TCO.

Flores - Policiais Militares do 14° BPM foram informados que no sítio Macaco havia um bar em funcionamento. Chegando ao local foi verificado que o bar estava fechado, mas havia varias pessoas ingerindo bebida alcoólica no alpendre do referido estabelecimento, que ao ser indagado o proprietário informou ter fornecido as bebidas, como também já havia sido notificado pela vigilância sanitária do município, sendo  conduzido até a Delegacia de Polícia local e submetido a um TCO.

Triunfo - Durante rondas, Policiais Militares do 14° BPM visualizaram um bar em funcionamento, com algumas pessoas no local ingerindo bebidas alcoólicas, descumprindo decreto estadual. O proprietário foi conduzido até a Delegacia de Polícia local e submetido a um TCO.

Santa Cruz da Baixa Verde - Policiais Militares do 14° BPM foram informados pela vigilância sanitária que havia um bar com aglomeração de pessoas e venda de bebidas alcoólica no centro da cidade. Chegando ao local foi constatado que ao lado de fora do bar tinha uma mesa com várias latinhas de cerveja, foi questionado ao proprietário e foi confirmado que algumas pessoas tinham comprado a bebida em seu comércio e que ele não podia controlar o local que consumiram, que já tinha recebido a visita da vigilância sanitária e que foi liberado o funcionamento do comércio por vender produtos de higiene e alimentos caracterizando o comércio como mine mercearia.  Diante do ocorrido o proprietário do estabelecimento com conduzido a Delegacia de Polícia local. 

Postar um comentário

0 Comentários