Opinião: Distopia tem vários significados...


Vivemos em épocas difíceis. Seria apenas um sonho ou pesadelo? Será mesmo que a bíblia está certa? E a ciência? Esses e outros questionamentos revigoram-se constantemente no século XXI, primeiro século do terceiro milênio. No entanto, observar um passado não tão distante nos faz perceber que por falta da construção ética, política e social, o mundo globalizado enfrenta as piores mazelas. E, casos como esses só tendem a piorar cada vez mais. É fato, portanto, que não se trata de uma mera utopia, e sim, de um verdadeiro axioma. 

Observando a situação brasileira, a constituição federal de 1988 garante que nenhum indivíduo será submetido a tortura, tratamento desumano e degradante. Em visão geral, atos constitucionais não atuam de forma efetiva em meio a sociedade brasileira. Hostilidade, preconceito racial, xenofobia e outros tipos de discriminação social são epicentros da discórdia e do ódio. Viver em uma era que ter poder e status vale mais que a própria integridade humana, viver em um mundo de corrupção onde as políticas não são políticas, mas, politicagem. Viver não, apenas vegetar, respeitando a desmoralização e aceitando que os representantes no deem “terra em vez de adubo.” 

Por que tanto desemprego? Por que tantos desabrigados? Por que tanta desigualdade? Será que ainda vivemos em uma sociedade estamental? É importante mencionar que os recursos naturais estão em constante degradação. É ignóbil como o homem possa ser rude, ao ponto de acabar com seu meio. Desde as revoluções industriais as tecnologias se apoderam do âmago do ser racional. As redes sociais facilitam encontros e promovem baixarias, fragmenta concepções e transforma o indivíduo no seu próprio medo. São tempos difíceis. Vírus mortais tendem a se propagar exacerbadamente, a falta de investimentos em saúde pública promove as maiores catástrofes. 

Em visão geral chegou o momento em que desejaríamos viver iguais aos índios antes da colonização. Viver sem ter medo, ser caçador, usar os recursos não para esgotar, e sim, sobreviver. Já dizia o sociólogo, antropólogo e filosofo francês Emile Durkhein “ O indivíduo só poderá agir na medida em que aprender a conhecer o contexto em que está inserido, a saber quais são suas origens e as condições de que depende.” 

Pedro David Ferreira dos Santos 
São José do Egito-PE 
Sexta Feira, 11:20 A.M do dia 03/04/2020

Postar um comentário

11 Comentários

  1. Texto muito bem escrito, e os questionamentos levantados nos fazem refletir sobre o mundo em que vivemos. Parabéns ao blog e parabéns ao autor.

    ResponderExcluir
  2. O texto foi muito bem redigido, que orgulho desse menino! ❤️

    ResponderExcluir
  3. ótimo texto, ótima reflexão! muito orgulho e admiração. sz

    ResponderExcluir
  4. -Uma construção textual digna de aplausos. Atípica idéia, clara sobre um tempo,um modo de vida e subordinação social, contraposta a falácias e balbucias das forças midiaticas. Parabéns, David!

    ResponderExcluir
  5. -Uma construção textual digna de aplausos. Atípica idéia, clara sobre um tempo,um modo de vida e subordinação social, contraposta a falácias e balbucias das forças midiaticas. Parabéns, David!

    ResponderExcluir
  6. Obrigada pela recomendação, Renato😘😘

    ResponderExcluir
  7. Parabéns Davi seu texto esta plenamente relatando toda verdade que estamos vivendo

    ResponderExcluir
  8. Arrasou muito. Questionamentos que fazemos todos os dias atualmente.

    ResponderExcluir
  9. Texto muito bom! Certamente, nos conduz a reflexões das mais variadas. O final nos faz ter uma noção daquilo que somos e nos tornamos através da bem escolhida citação de Durkheim. Parabéns!

    José Filho, jornalista MTB 3948/PB
    Patos, PB.

    ResponderExcluir