Coluna O Linguarudo - Não Vou Mentir Para Agradar (08/04/2020)

Carnaíba decreta Estado de Calamidade Pública - O prefeito de Carnaíba, Anchieta Patriota (PSB), decretou Estado de Calamidade Pública em razão das fortes chuvas e inundações, bem como para medidas de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus (COVID-19) no município. O decreto foi publicado nesta terça-feira (07/04) no Diário Oficial do município e garante à Prefeitura mais autonomia para criar ações preventivas e ampliar medidas com relação aos assuntos abordados. Tem validade de 180 dias, mas pode ser prorrogado caso haja necessidade. (Rádio Vivo)

Cobrança – O deputado estadual Alberto Feitosa cobra que o pagamento do IPTU do Recife seja suspenso ou prorrogado. Ele usa como exemplo as prefeituras de Teresina, no Piauí, e Maceió, em Alagoas.

Projeto de Lei que reduziria mensalidades escolares durante pandemia é rejeitado na Alepe - O Projeto de Lei Estadual (PLE) 1028/2020, do deputado Álvaro Porto (PTB), que previa a redução de 30% nas mensalidades das escolas privadas durante a pandemia de Covid-19, foi considerado inconstitucional, por unanimidade, na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). A Comissão de Constituição, Legislação e Justiça votou o projeto no início da tarde desta terça-feira (7).

Deputados protocolam pedido de impeachment do ministro da Educação - O deputado federal Danilo Cabral, do PSB de Pernambuco, e outros quatro parlamentares protocolaram no final da tarde desta terça-feira (07), na Câmara, um pedido de impeachment do ministro da Educação, Abraham Weintraub (foto). A denúncia é por crime de responsabilidade pela prática de improbidade na administração pública e por falta de decoro. Assinam como co-autores João Campos (PE), Denis Bezerra (CE), Lídice da Mata (BA), Mauri Nazif (RO), Bira do Pindaré (MA) e Camilo Capiberibe (AP), todos do PSB. No pedido de impeachment, o deputado alega que Weintraub feriu o artigo 9º da Lei 1.079/50, em especial os itens 4 e 7. O item 4 diz que comete crime contra probidade administrativa quem expedir ordens ou fizer requisição de forma contrária às disposições expressas da Constituição. Já o 7 afirma que comete crime quem proceder de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo. Diversos fatos polêmicos relacionados à gestão do ministro foram citados, entre eles as agressões feitas a estudantes, professores, instituições, a exemplo das universidades e a nações estrangeiras, como a China. O argumento de Cabral é que as declarações xenófobas em relação à China trazem complicações ao combate do Brasil ao coronavírus. O país precisa comprar do país asiático insumos e equipamentos para enfrentar a pandemia.

Inocente quer saber – Qual será a eleição mais acirrada de Pajeú?

Postar um comentário

0 Comentários