Governo de Pernambuco estaria escondendo duas mortes por coronavírus, denuncia policiais civis e blogs. IML confirma cadáver com suspeita de coronavírus, mas diz que estado do corpo impossibilitou confirmação laboratorial da doença

22 março Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Atendendo a pedidos dos Policiais Civis que estão trabalhando no IML do Recife, neste sábado (21), o presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, foi até o instituto para averiguar a denúncia de que teria chegado um corpo, suspeito, de ter vindo à óbito em decorrência do novo corona vírus. Lamentável, mas para piorar a situação, o governo ainda não cumpriu a decisão judicial que obriga o Estado a garantir o fornecimento de equipamentos de proteção individual, como macacões impermeáveis, luvas, óculos e álcool em gel para os trabalhadores da segurança pública. Em vez de fornecer os equipamentos, o Governo de Pernambuco recorreu da decisão e obteve do presidente do TJPE uma suspensão de liminar que revoga o prazo de 72 horas para fornecer os equipamentos, mas mantém o dever de fornecê-los aos profissionais de saúde, prioritariamente e em seguida aos policiais civis. Entretanto, profissionais que atuam no IML estariam apavorados por não estarem recebendo equipamentos específicos para a realização de necropsia de pessoas que foram a óbito com suspeita de coronavírus.

O corpo de um homem de 61 anos, nascido no Recife (apesar de sabermos sua identidade não a divulgaremos em respeito à família) permanece isolado e sem autópsia, já que os médicos legistas e os auxiliares de legista não têm como agir diante da falta dos equipamentos de segurança.

Além disso, Áureo também alerta para a possibilidade de um outro caso de óbito em decorrência da pandemia, dessa vez em Camaragibe: "É muito importante que o governo do estado seja transparente com relação aos números do coronavírus em nosso território. A ciência da real gravidade da doença e do avanço em nosso solo podem salvar vidas. Chegou ao nosso conhecimento esse outro caso, de uma idosa de 79 anos que foi atendida na UPA da Caxangá e morreu ontem (20), já tendo sido enterrada no cemitérios de Camaragibe, pela funerária Amorim", revela.

Em nota, o Sinpol afirma que continuará atento e atuante para resguardar todos os Policiais Civis de Pernambuco e o povo, por conseguinte. E avisa: caso a vida e a segurança desses profissionais não sejam resguardadas, o Sinpol irá orientar que o atendimento ao público seja suspenso imediatamente.

O blog do Ricardo Antunes divulgou o que teria sido o primeiro óbito por coronavírus de Pernambuco, mas não se sabe se seria um terceiro caso ou um daqueles denunciados pelo Sinpol. Leiam: "O Governo de Pernambuco está escondendo a real situação dos afetados pelo coronavírus. O Blog confirmou que os números reais são bem maiores que os apresentados. Além disso, pelo menos uma morte já teria acontecido e não foi divulgada.

Trata-se justamente da diarista do casal de idosos que chegou da Itália, um homem de 71 anos e a esposa de 66. Os jornais inclusive noticiaram ontem que a idosa em questão foi o primeiro caso do Covid-19 resolvido no estado."
A se confirmar que o governo de Pernambuco está escondendo óbitos e casos de coronavírus no Eatado, a situação é gravíssima, por passar uma falsa sensação de segurança à população. No Distrito Federal, o governador age justamente para buscar transparência chegando a acionar a justiça federal para obter as listas de pessoas que testaram positivo para o vírus, inclusive do presidente da República. É urgente que o ministério público investigue essas graves denúncias.

Após o presidente do Simpol, Áureo Cisneiros, divulgar um vídeo e o sindicato emitir uma nota questionando a transparência do governo de Pernambuco sobre óbitos decorrentes do Coronavírus, em Pernambuco, tendo em vista a existência de pelo menos três óbitos suspeitos de coronavírus no Estado, o IML emitiu um comunicado sobre apenas um dos casos, em que reconhece as suspeitas, mas que as teria descartado. Além dos óbitos suspeitos, o Sinpol também questiona o não fornecimento de equipamentos de proteção individual aos profissionais que atuam no IML, necessários à necropia  de mortos por doenças infecto-contagiosas.

Na nota, assinada pelo IML, o governo afirma que, de fato, recolheu um cadáver em avançado estado de putrefação e que por isso a vigilância sanitária não pode fazer os exames laboratoriais do material colhido. Sem a confirmação ou descarte laboratorial para coronavírus, o IML teria decidido fazer a necropsia e descartado covid 19 pela análise do histórico do idoso e pela data da morte. A nota, no entanto, não informa qual teria sido a causa do óbito.

Sobre a denúncia de falta de EPIs específicos para doenças infecto-contagiosas, como coronavírus, denúncia que também foi feita ao Sinpol por profissionais que trabalham no próprio IML, a direção do órgão deu declaração genérica sobre o fornecimento de equipamentos, mas sem esclarecer se são aqueles cujos funcionários do órgãos reclamam a falta.

Sobre a morte de uma idosa na UPA da Caxangá, cuja documentação médica, em poder da Funerária Amorim, aponta para morte suspeita por coronavírus e de uma diarista, cujo óbito foi noticiado pelo Blog do Ricardo Antunes, nem o governo nem o IML se pronunciaram.  

Apesar do tom raivoso e pouco instirucional da direção do IML chamando de falsas as informações do presidente do Silpol, a nota confirma o que disse o presidente da entidade sindical quanto à existência de um cadáver com suspeita do Coronavírus naquele órgão. É fácil percevei, assistindo o vídeo que o presidente no Sinpol fala em susoeita e a própria nota do IML confirma a entrada de corpo com suspeita, mas que a doença foi descaratada por dedução e não por exames laboratoriais. Chama atenção a omissão, na nota, da causa mortis, que pelo que se lê na nota do IML, deve ter sido inconclusiva. 


Que haverá óbitos em decorrência da pandemia, isso é fato declarado pelo próprio ministro da Saúde em entrevistas coletivas e em Pernambuco não será diferente. O Estado, aliás, está listado entre os entes federados onde mais deverão ocorrer óbitos, em razão da grande parcela de idosos em sua população. Anunciar as curas que são a regra, é positivo, para trazer alento à população, mas omitir os óbitos, que são a exceção, ou mesmo suspeitas de óbitos pelo coronavírus, traz uma falsa ideia de segurança à população, que em nada contribui para o trabalho do próprio governo na tentativa de manter as pessoas em casa. Ontem mesmo divulgamos um video da cidade de Camaragibe, na Região Metropolitana do Recife, onde as pessoas circulavam pelas ruas do centro da cidade como se nada estivesse acontecendo. O mesmo se deu da cidade de Paulista. As pessos precisam ser alertadas de que se é verdade que 80% dos infectados ficarão assintomáticos e sequer saberão que adquiriram o vírus, também é verdade que esses mesmos 80% serão os responsáveis, se não se mantiverem em isolamento, por transmitir a doença para outras pessoas, principalmente idosos, para quem o coronavírus pode, sim, ser fatal. No Brasil, já morreram, oficialmente, 19 pessoas, mas na Itália, por dia, já são quase 5 mil mortes e segundo os estudiosos a curva epidêmica do Brasil se assemelha à da Itália.

(*) Fonte: Blog da Noelia Brito

0 comentários:

Recent Comments