7 motivos pelos quais a eliminação para o Afogados é um dos maiores vexames da história do Atlético

27 fevereiro Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Nos pênaltis, o Atlético caiu na segunda fase da Copa do Brasil após empatar por 2 a 2 com o recém-fundado Afogados, na noite desta quarta-feira. O Superesportes lista sete motivos para comprovar que a derrota no Vianão, em Afogados da Ingazeira, foi um dos maiores vexames da história recente do clube alvinegro.

Time recém-fundado

Em 18 de dezembro de 2013, o Atlético entrava em campo para estrear no Mundial de Clubes após conquistar de forma histórica a Copa Libertadores. Naquela noite, o time comandado por Cuca foi eliminado para o Raja Casablanca ainda na semifinal do torneio. Do outro lado do mundo, na mesma data, era fundado o Afogados da Ingazeira Futebol Clube. 

No interior de Pernambuco, surgia a equipe que, pouco mais de seis anos depois, faria com que o Atlético passasse mais uma vergonha. Isso mesmo. O Afogados, de uma cidade com menos de 40 mil habitantes e que nunca conquistou nenhum título de grande expressão, tem apenas seis anos de história - 105 a menos que o Galo.

Folha salarial

A diferença entre os investimentos dos dois clubes é outro motivo que comprova a dimensão do vexame alvinegro. O Afogados tem uma folha salarial mensal de aproximadamente R$ 100 mil, valor que vários jogadores do Atlético ganham todo mês. Em média, os jogadores da equipe pernambucana recebem R$ 3 mil.

Estrutura

O Atlético se gaba por ter um dos principais centros de treinamento do planeta, a Cidade do Galo. Por outro lado, o Afogados não tem nem CT. Os jogadores treinam no Vianão, estádio onde os jogos são realizados. Esses tempos, porém, estão contados. O presidente do clube pernambucano, João Nogueira, prometeu a construção de um centro de treinamento com dois campos. Tudo isso com o R$ 1,5 milhão recebido em premiação por eliminar o Galo.

Time de Série D

O Afogados está três patamares abaixo do Atlético no futebol nacional. Enquanto o time alvinegro integra a divisão de elite, os pernambucanos jogarão a Série D do Campeonato Brasileiro em 2020.

Investimento milionário

O Atlético aumentou o investimento no elenco para esta temporada. Com auxílio de parceiros, a diretoria alvinegra investiu em jogadores como o volante Allan, o lateral-direito Mailton, o lateral-esquerdo Guilherme Arana e o atacante Savarino. Os milhões colocados no mercado aumentaram a disparidade em relação ao modesto Afogados.

Gol com um a mais

Atlético e Afogados empatavam por 1 a 1 quando, aos 21 minutos do segundo tempo, o zagueiro Márcio foi expulso. Mesmo com um jogador a mais, o time alvinegro não conseguiu virar a partida. E pior: sofreu um gol dos donos da casa. Pouco depois, empatou e levou para os pênaltis. Nas penalidades, melhor para os pernambucanos.

Virada nos pênaltis

O Atlético abriu a disputa por pênaltis com dois gols, enquanto o Afogados errou as duas primeiras cobranças. Parecia que a classificação alvinegra estava encaminhada, mas Allan e Nathan pararam no goleiro Wallef. A partir daí, todos os batedores balançaram as redes até a vez de Gabriel, que chutou para fora. No último chute, Heverton Luís chutou em cima de Michael, mas a bola bateu no goleiro do Galo e morreu no fundo das redes. (MSN)

0 comentários:

Recent Comments