Primeira Mão: Ara ketu e Patusco no Baile Municipal de Afogados 2020

O Baile Municipal de Afogados da Ingazeira, Sertão de Pernambuco, contará este ano com três atrações, a orquestra de Frevo do Município, Patusco, que já se apresentou duas vezes na cidade e agradou, e a atração nacional Ara ketu.

Fundado em 8 de março de 1980, na comunidade de Periperi, Subúrbio Ferroviário de Salvador, tem sua essência afro, com muita luta e resistência ao longo de todos esse anos.

Foi campeão do carnaval de Salvador nos anos de 1981, 1982 e 1983, não podendo mais competir nos anos seguintes.

O Ara Ketu foi idealizado por Vera Lacerda, professora de história e mestra em filosofia, e seu primo Augusto César (falecido em agosto de 2016), guru espiritual de diversos artistas do Brasil.

Assemelhante aos outros blocos afros como Ilê Aiyê e Olodum, o bloco Afro Ara Ketu desenvolvia também um trabalho social voltado para a sua comunidade. Embora durante os anos 1980 os blocos afros tenham ficado quase invisíveis para o grande público no Brasil, as suas músicas foram interpretadas por outros artistas como Banda Reflexu's e Margareth Menezes. Por exemplo: a música "Uma história de ifá" foi gravada no primeiro LP do Ara Ketu em 1987, e lançada no CD de Margareth Menezes do ano seguinte, tendo grande sucesso no Brasil e no exterior. Constituído inicialmente por um bloco de percussão, dançarinos e associados, o "Ara", como é mais conhecido, incorporou instrumentos de sopro, bateria e teclado para se reformular.

Em 1987, lançaram seu álbum de estreia, pela gravadora Continental. Em 1994, foram para a gravadora Columbia, e em novembro do mesmo ano lançaram o álbum Bom Demais. Em 1998, lançaram o álbum Ao Vivo, que foi certificado diamante.

Em 2007, Tatau, vocalista da banda, se desligou do grupo para seguir carreira solo e foi substituído pela cantora Larissa Luz até junho de 2012. No dia 5 de junho de 2012, o antigo vocalista Tatau retornou ao comando da banda.

Em 1 de março de 2015, Tatau deixa mais uma vez o AraKetu, dessa vez em definitivo. Entra, no comando dos vocais do AraKetu, Tonho Matéria, fazendo o seu primeiro show no em maio de 2015, na cidade de Cachoeiro de Itapemirim.

Nesse mesmo ano, é feito um concurso para um segundo cantor da banda. Foi escolhido Linnoy (ex-integrante da banda Os Sungas).

Essa formação se manteve até o mês de maio de 2018.

Imagens do show de Patusco em Afogados

A banda AraKetu, hoje composta por Dan Miranda, (ex-integrante da banda Filhos de Jorge), que teve sua voz eternizada com a música Ziriguidum. Essa formação já se apresentou em diversos Estados do Brasil, levando suas músicas alegres e dançantes por todos os locais aos quais passam. Hoje, além de todos os sucessos do AraKetu (Pipoca, Mal Acostumado, Bom Demais, Avise a Vizinha etc.) o Ara já começa a ter musicas autorias, com lançamento nas principais plataformas digitais, como O Som do Ara (composição de Dan Miranda) e Praça da paixão (Samir, Breno e Rubão), com lançamento previsto para o mês de julho de 2019.

Essa formação segue junta até os dias atuais, tocando em diversas cidades do Brasil.


Já a história do surgimento do grupo anárquico místico carnavalesco patusco se confunde com a do carnaval de Olinda, e tudo foi graças ao carnavalesco “Tuca”. natural de Olinda, ainda quando criança era levado pela sua mãe para assistir as festas de momo do Recife. Muitas vezes pelo fascínio que o carnaval lhe provocava, ele dava umas escapadas para acompanhar os blocos de sujo e as “la ursa”, que pelo seu colorido e irreverência já encantava o pequeno.

Com o crescimento do carnaval de Olinda, esse autêntico folião, criado respirando carnaval e residindo no foco da folia olindense, não poderia fugir a regra: na adolescência começou a confeccionar máscaras, inspirado pelas imagens dos carnavais guardados em sua mente quando criança. Essas máscaras inicialmente foram confeccionadas de papel e cartolinas, porém, com o tempo e com o advento do mela mela, tuca passou a fazer fantasias e máscaras em plástico, ideia bastante inovadora até os dias atuais, considerando que tudo isso se deu em 1962, quando o mesmo fundou o primeiro bloco no seio do clã de sua família.

Das fantasias idealizadas por ele podemos destacar as araras, papagaios, pinguins e a de pato, sendo esta última, no carnaval de 1972, a responsável pelo nome do grupo, “Patusco”, e que passaria a ser destaque por toda mídia pela forma irreverente de se fazer carnaval.

Postar um comentário

2 Comentários