Justiça determina fornecimento de medicamentos em atraso em Pernambuco

27 agosto Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


A Justiça Federal determinou a regularização, no prazo de dez dias, do fornecimento de medicamentos sob a responsabilidade do Ministério da Saúde em Pernambuco. Desde 2018, remédios não têm sido entregues ou têm sido entregues com atraso, causando prejuízo à população, segundo a Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco (PGE-PE), que ingressou com a ação judicial para garantir a distribuição dos medicamentos.

Os remédios são voltados para transplantados e pacientes com esclerose múltipla, síndromes raras, hepatite C, entre outras doenças. A liminar foi concedida pela 12ª Vara Federal em Pernambuco após o esgotamento do prazo para resolução da situação, prometido pelo Ministério da Saúde para 30 de junho, segundo a PGE-PE.

A cada trimestre, a Secretaria Estadual de Saúde encaminha para o Ministério da Saúde a programação do quantitativo de remédios e número de pacientes que irão recebê-los. Ainda de acordo com a Procuradoria Geral do Estado, por não encontrarem o medicamento disponível, muitos pacientes ingressam com ações obrigando o Governo de Pernambuco comprar tais medicamentos, cujo custo é estimado em R$ 104,8 milhões por trimestre.

0 comentários:

Recent Comments