Brejinho, Triunfo e Santa Terezinha estão entre os 21 municípios pernambucanos que não registraram assassinatos em 2019

17 agosto Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Pernambuco alcançou, em julho de 2019, o 20º mês consecutivo de redução nos homicídios, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Foram registrados 246 casos, uma retração de 27,9% em relação a julho de 2018, quando houve 341 assassinatos. Esta foi a menor incidência em 71 meses, ou seja, desde agosto de 2013, quando foram registrado 214 casos. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (15) pela Secretaria de Defesa Social (SDS).

De janeiro a julho, 21 municípios pernambucanos, além de Fernando de Noronha, não registraram nenhum Crime Violento Letal Intencional (CVLI), isto é, crimes de homicídio doloso, lesão corporal seguida de morte e roubo seguido de morte (latrocínio). São eles: Alagoinha, Brejinho, Cabrobó, Calçado, Cedo, Cumaru, Dormentes, Granito, Ipubi, Itacuruba, Palmeirina, Salgadinho, Saloá, Santa Terezinha, São Benedito do Sul, Serrita, Terezinha, Triunfo, Tupanatinga, Vertente do Lério, Xexéu.

Ver números abaixo

No mês passado, o interior do estado registrou 135 homicídios, contra 195 em julho de 2018, 260 em julho de 2017, 200 em julho de 2016, 170 em julho de 2015 e 145 em julho de 2014. Na linha do tempo, só ficou acima do mesmo mês de 2013, com 129 CVLIs. Considerando todos os meses da série histórica, julho passado foi o de estatísticas mais baixas de assassinatos para o interior desde fevereiro de 2014 (132), ou seja, há 52 meses.

Na soma dos sete primeiros meses de 2019, a redução dos crimes contra a vida nos 170 municípios do interior está acima da média estadual. Na Zona da Mata, Agreste e Sertão, foram 1.112 CVLIs entre janeiro e julho deste ano, contra 1.481 no mesmo período de 2018. A diminuição foi, portanto, de 24,9% ou 369 menos homicídios. Quando se leva em consideração todo o Estado, no mesmo comparativo, a queda nos índices de homicídios chega a 23,7%: de 2.625 CVLIs notificados nos primeiros 7 meses de 2018, Pernambuco ficou em 2.002 mortes no mesmo recorte deste ano. A diferença foi de 623 menos mortes em 2019.

“Nas últimas décadas, a vida no interior sofreu uma transformação com a chegada da violência, com a instalação do tráfico de drogas. Isso aconteceu em todo o país, com o deslocamento do crime organizado para as cidades do interior, mesmo até de menor porte, em busca de novos mercados para o consumo de drogas. Sabemos da nossa realidade e da necessidade de aprimoramento das ações, mas é um incentivo a todos os que fazem o Pacto pela Vida poder trazer mais tranquilidade e qualidade de vida para os moradores do interior”, diz o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua.

Agreste e Sertão

No detalhamento dos números, levando em consideração o período de janeiro a julho de 2019, é possível observar que o decréscimo dos crimes contra a vida em Pernambuco vem sendo encabeçado por regiões como o Agreste (-26,5%) e Sertão (-26,52%). A primeira somou 506 ocorrências no ano, enquanto no mesmo período de 2018 havia registrado 689 crimes do tipo. Já no Sertão, foram 222 registros neste ano, contra 301 no ano passado. Em seguida, vem a Região Metropolitana (exceto Capital), que, com 582 CVLIs registrados em 2019, teve uma queda de 25,8%. No ano passado, havia notificado 785. Por fim, vem a Zona da Mata, com uma diminuição de 21,79% (caindo de 491 para 384 registros).

Especificamente em julho, o destaque ficou por conta da Zona da Mata, que deixou o patamar de 69 mortes violentas em julho de 2018 para 42 no mesmo mês deste ano – um percentual de queda de 39%. Logo em seguida, vem o Agreste, que conseguiu frear os CVLIs em 29,5% (de 88 para 62 vítimas). Por sua vez, os homicídios na Região Metropolitana (exceto a capital) diminuíram de 95 para 71, ou -25,26% em relação a julho de 2018. E o Sertão alcançou -15%, ao sair de 38 para 31 ocorrências.

Capital

No Recife, a queda nos crimes contra a vida chegou a 21,57% no mês passado, caindo de 51 ocorrências, em julho de 2018, para 40 casos neste ano. Com isso, esse foi o julho menos violento dos últimos cinco anos, perdendo apenas para o mês correlato de 2014, que somou 34 casos. Já no somatório do sete primeiros meses do ano, a retração dos homicídios na Capital chegou a 14,21%. Ao todo, foram 308 crimes do tipo registrados entre os meses de janeiro e julho de 2019, contra 359 no mesmo período do ano passado.

Mulher

No mês passado, os crimes de feminicídio baixaram 14%. No total, foram seis casos, contra sete em julho de 2018. Com isso, a retração acumulada desse tipo de ocorrência chega a 19% no ano, saindo de 42 casos em 2018, para 34 neste ano. Ainda foram registradas quedas nos crimes de violência doméstica contra a mulher e de estupro. Em relação ao primeiro, as queixas em julho deste ano caíram 1,33% em relação ao de 2018 (de 3.159 para 3.117 vítimas). Já quanto aos estupros, a variação das notificações chegou a -29% na comparação com julho de 2018, ao cair de 231 para 164 casos.

Roubos

Julho de 2019 completou uma série de 23 meses consecutivos de queda nos índices de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs) em Pernambuco, em relação ao mesmo período do ano antecedente. Desde a implantação do Pacto, em 2007, o Estado não tinha uma sequência tão longa de recuo nos CVPs. Foi em setembro de 2017 que essas investidas começaram a declinar. Considerando esses 23 meses de lá para cá, em confrontação com os mesmos meses de anos anteriores, a diferença foi de 41.183 roubos a menos.

Houve 6.716 roubos em Pernambuco em julho de 2019, contra os 7.981 de seu equivalente em 2018. A redução percentual foi de 15,9%. Entre as Áreas Integradas de Segurança do Estado, distinguiram-se a AIS 2 (sede no bairro de Campo Grande, no Recife) e a AIS 5 (região de Casa Amarela, também na capital). A AIS 2 atingiu o menor patamar de CVP dos últimos 55 meses, com 427 casos, superada somente por dezembro de 2014, com 14 registros a menos. Por sua vez, a AIS 5 fechou julho deste ano com a menor incidência desde abril de 2015. Foram 268 ocorrências, apenas oito a mais do que há 51 meses.

Roubos no Sertão

Todas as regiões de Pernambuco terminaram o mês de julho com queda significativa nas queixas de roubo, porém o Interior destacou-se com os melhores índices. O Sertão sobressaiu com -38,32%: em comparação com julho de 2018, os casos baixaram de 441 para 272. A segunda marca ficou com o Agreste, com -25,68%, saindo de 1.624 para 1.207. Terceiro melhor desempenho entre as regiões, a Zona da Mata viu as notificações de Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP) passarem de 826 para 700, ou seja, -15,2%.

Em seguida vieram os municípios da Região Metropolitana (menos a Capital), onde os roubos caíram 10,91% em julho (de 2.384 para 2.124). Especificamente no Recife, o percentual foi similar ao das demais cidades da RMR: -10,83%, tendo reduzido as queixas por CVP de 2.706 para 2.413 no sétimo mês de 2019.

Diminuição

Já no acumulado de janeiro a julho de 2019, é o Agreste que lidera o declínio nos roubos. Chegou a -28,27% nessa região, alcançando 8.831 queixas, 3.480 a menos do que o período equivalente em 2018. Pelo Sertão, que demonstrou o segundo melhor desempenho, a diferença atingiu -26,78% (de 3.357 para 2.458, ou 899 ocorrências a menos). Na sequência, aparece a Zona da Mata, com -18,7%, que somou 4.738 casos nesses sete meses de 2019, o que significa 1.090 a menos em comparação com o ano anterior.

Celulares

As polícias de Pernambuco conseguiram recuperar mais que o dobro de celulares roubados nos primeiros sete meses de 2019, comparando-se com os de 2018. O aumento é de 112%, pois as apreensões passaram de 2.443 para 5.176. Desde que a SDS implantou o Programa Alerta Celular, em março de 2017, já foi possível reaver 11.740 aparelhos de telefonia móvel. Somente em julho deste ano, somaram-se 781 apreensões. E os roubos de celular continuam a cair, tendo alcançado -19% no mês passado. De 3.038 telefones subtraídos de seus donos em julho de 2018, o número caiu para 2.457.

Bancos

Julho deste ano foi o mês com menos investidas contra instituições financeiras desde julho de 2012. No sétimo mês deste ano, ocorreram dois roubos a banco e um a carro-forte, contra os dois eventos registrados sete anos atrás. Já a queda em relação a julho de 2018, que somou 12 ocorrências, ficou em 75%. No acumulado dos sete primeiros meses do ano, a redução desse tipo de crime foi de 65%. Em comparação com o mesmo período do ano passado, o Estado teve 31 casos a menos, ao sair de 47 para 16 ocorrências dessa modalidade criminosa.

Veículos

As investidas criminosas que tiveram os veículos como alvos caíram a uma taxa de -56,92% no Sertão de Pernambuco em julho deste ano. As queixas por essa modalidade criminosa chegaram a 28, 37 a menos do que as 65 registradas em julho de 2018. No Agreste, a redução foi a maior em números absolutos, com 109 ocorrências a menos (de 501 para 392). Ambas as regiões ficaram com diminuição acima da média estadual no mês, que alcançou -11,09% nos roubos de veículos. De janeiro a julho, essa diferença é ainda maior em Pernambuco: -21,51%, saindo de 9.810 queixas de veículos roubados nesse período no ano passado para 7.700 este ano. O Sertão evidencia-se novamente pelo resultado mais positivo, de -41,27% nesses sete meses, pois reduziu de 441 para 259. 

0 comentários:

Recent Comments