Brasil é 'virgem que todo tarado de fora quer', diz Bolsonaro sobre Amazônia

07 julho Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Ao comentar pressões de líderes europeus e do Papa Francisco contra o desmatamento em alta no país e a favor da preservação da Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro comparou neste sábado (6) o Brasil a “uma virgem que todo tarado de fora quer”.

O presidente falou a respeito ao deixar o Palácio da Alvorada na noite deste sábado (6), rumo a uma festa junina no Clube da Marinha, em Brasília.

Questionado sobre declaração do Papa Francisco horas antes, que alertou para uma situação “séria e insustentável” na floresta, ele fez explanação de alguns minutos, em tom irritado, sobre suas teses relativas ao meio ambiente. Afirmou que os países estrangeiros querem que o Brasil preserve sua biodiversidade para que eles próprios, no futuro, a explorem.

Francisco disse que “a situação da Amazônia é um triste paradigma do que está acontecendo em muitas partes do planeta: uma mentalidade cega e destruidora que favorece o lucro à justiça".

Na semana passada, antes de participar do G-20, no Japão, o presidente foi advertido pelos principais líderes europeus sobre a questão do desmatamento. 

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse ver com "preocupação” as ações do Brasil contra a devastação e pediu uma conversa clara a respeito. O presidente francês, Emmanuel Macron, cogitou o fim de acordos comerciais com o Brasil, caso o país saia do acordo climático de Paris. 

“Vim aqui para mudar. Não estou preocupado com nada, a não ser fazer com que o meu país seja respeitado lá fora e dei a devida resposta para o Macron e para a Angela Merkel. Muito educada”, relatou.

Bolsonaro disse que os convidou a voar de Boa Vista a Manaus, desafiando-os a achar destruição pelo caminho. “Se encontrarem um hectare de devastação de terra, eles têm razão”, afirmou. Prosseguiu dizendo que pediu também para sobrevoar a Europa. “Se tiver um hectare de floresta, vocês [Macron e Merkel] têm razão.” 

Na sequência, Bolsonaro resumiu: “O Brasil é uma virgem que todo tarado de fora quer. Desculpe aqui as mulheres”. 

Bolsonaro sustentou que, na cabeça dos europeus, a Amazônia não é do Brasil. “Você sabe o que é Triplo A? Andes, Amazônia, Atlântico. São 136 milhões de hectares. O primeiro mundo quer para ele a administração dessa área. Você quer perder a Amazônia?” 

O presidente chamou seus antecessores de vendilhões por fazer acordos com países como Bolívia e Venezuela. Disse que, quando viajavam ao exterior para eventos como o do G-20, os ex-presidentes voltavam e demarcavam “dezenas de áreas indígenas”. E argumentou que ONGs internacionais estão por trás desse processo.

“Uma área maior do que isso [o Sudeste] está reservada para índio. O índio não tem poder de lobby. Quem é que faz a demarcação, se não tem poder de lobby? ONGs, grana de fora do Brasil. Áreas riquíssimas. O que o outro mundo quer é preservar essa área para ele explorar isso um dia”, comentou.

O presidente afirmou ainda, sem dar detalhes a respeito, que há uma tentativa de se criar áreas independentes do Brasil no atual território. 

“Na ONU se discute há muito tempo a autodeterminação dos povos indígenas: novos países dentro do Brasil. A área dos ianomâmis é duas vezes o tamanho do Rio de Janeiro. Você acha que um presidente da República qualquer tem de ir para fora se submeter aos caprichos dessas pessoas que querem criar novos países dentro do Brasil?”, questionou. (Folhapress)

0 comentários:

Recent Comments