Parceria do Ecolume e Prefeitura de Afogados distribui mudas de umbu na Expoagro

29 junho Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Neste sábado (29), durante a programação da 15ª Expoagro Afogados da Ingazeira, comunidades do município e do entorno, receberão mudas de umbu da Rede Nacional de Pesquisadores (Ecolume) em parceria com a prefeitura da cidade. A doação dessas plantas nativas integra o projeto de socioeconômica do Ecolume, financiado pelo CNPq. A rede aposta em tecnologias sociais para a implantação de modelos adaptados aos efeitos da mudança do clima sobre a Caantiga, potencializando riqueza natural e o sol em favor da população do Sertão. 220 mudas, que foram produzidas na unidade do IPA de Ibimirim, serão entregues hoje no stand do Sebrae.

Neste mês, 600 mudas doadas pelo Ecolume já foram plantadas na Serra do Giz, em Afogados da Ingazeira. O reflorestamento do umbu no Pajeú pode contribuir bioeconomicamente para as comunidades locais, como as do Umbuzeiro e Leitão. Arranjos Produtivos Locais podem ser ampliados com a planta. O umbu tem propriedades alimentares e nutricionais e pode ser a matéria-prima para diversos produtos manufaturados. No Sertão da Bahia, por exemplo, comunidades já fabricam e exportam até cerveja da planta. Pesquisadores do Ecolume inclusive estiveram em comunidades da Serra do Giz, com a Associação Rural e na escola, abordando o tema. Já tem uma nova programação de regresso no local para o próximo mês.

O Ecolume, que tem como lema-conceito “Planta Água, Comer Caatinga e Irrigá-la com o Sol, também já está presente em Ibimirim. Em parceria com a escola de agroecologia Serta, os pesquisadores estão instalando o 1º Sistema Agrovoltaíco Comunitário do Brasil. A tecnologia será capaz de produzir alimentos (vegetal e animal) e captar energia elétrica através de placa fotovoltaica para fins de irrigação constante e com reuso d’água. 

“A meta do Ecolume é produzir e distribuir 5 mil mudas pelo semiárido do estado”, conta Francis Lacerda, coordenadora da rede e do Laboratório de Mudanças Climáticas do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA).

0 comentários:

Recent Comments