Balaio Cultural de Tuparetama celebrou 8 anos com recorde de público

05 fevereiro Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Promover cultura no Sertão do Pajeú não tem sido tarefa fácil para quem tem a missão de preservar e fomentar os costumes de um povo. Mas no último sábado (2 de fevereiro), a cidade de Tuparetama presenciou uma grande manifestação de apoio ao Balaio Cultural, um dos principais eventos da região, que estimula e promove a típica cultura sertaneja.

Na edição comemorativa do 8º aniversário do Balaio Cultural, os" balaieiros" e "balaieiras" presentes no Espaço Cultural da Academia das Cidades, puderam comemorar ao som de muito forró, frevo e poesia. A primeira atração da noite a se apresentar foi o grupo Rimas Em Canto, que levou ao palco um repertório de músicas intercalando com declamação de poesias dos artistas regionais. 

A apresentação de Pepysho Neto e Walter Lajes deixou a noite com um toque especial. Os violonistas fizeram uma bela apresentação de voz e violão que encantou todos os presentes. Em seguida, foi a vez da Orquestra de Frevo Pajeú desfilar por entre o público, esquentando a noite ao som dos clássicos do frevo pernambucano. No final da apresentação, a orquestra fez uma homenagem executando o hino de parabéns.

O ponto alto da festa foi a apresentação do cantor Galego do Pajeú. Natural de Tuparetama, ele cantou o forró romântico e canções que fazem sucesso entre os fãs da vaquejada. O tecladista Josimar Alves e o cantor Sales Rocha, sacudiram os presentes com o autêntico forró pé-de-serra. A poesia também marcou presença com declamações de Dayane Rocha, Edimilson Pereira, Péricles Silva, Samuel Aragão e Lima Júnior.

Para o organizador do evento, Fernando Marques, o público estimado na edição de aniversário foi de duas mil pessoas. "A quantidade de pessoas presente nos dá a certeza da aceitação. Hoje, o Balaio não pertence apenas a Tuparetama, mas a toda uma região.", comemorou.

Promovido há oito anos, o Balaio Cultural acontece todo primeiro sábado do mês e é palco para artistas das regiões do Pajeú e do Cariri paraibano, uma vez que a cidade de Tuparetama fica numa localização privilegiada, fazendo limite com cidades do vizinho Estado da Paraíba.

O início- Em dezembro de 2010, após a realização de um evento cultural solidário no pátio da igreja matriz de Tuparetama, o poeta patrimônio Vivo de Pernambuco, Dedé Monteiro, sugeriu a Fernando que eventos culturais como o ocorrido, poderiam ser realizados com maior frequência.

Fernando levou a ideia adiante e em janeiro de 2011, acontecia a primeira edição do Balaio Cultural. O produtor destaca os trabalhos de Lima Júnior e Fifita Luciano, os quais abraçaram a causa e ainda hoje fazem parte da equipe de produção, sendo também responsáveis pelo sucesso do evento.


 

0 comentários:

Recent Comments