Arquiteto cria proposta para revitalização da antiga área ferroviária de Afogados com criação de Parque Urbano

09 fevereiro Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários




O arquiteto afogadense Mateus Estevam lançou um vídeo onde mostra uma proposta inovadora para um parque urbano em Afogados da Ingazeira.

Em conversa com o blog Mais Pajeú, Mateus explica que criou uma proposta de parque urbano e a preservação de edifícios existentes num trecho onde antes funcionava uma antiga estação ferroviária no Centro da cidade de Afogados da Ingazeira – PE. A fim de criar uma nova área pública preservando a história do local e mantendo elementos que retratem o desenvolvimento da cidade.

Na cidade existe algumas praças, a mais conhecida e frequentada está localizada no centro, junto à Igreja Matriz do município, principal meio de atração local. A carência de um parque é sentida pelos moradores quando se procura um lugar para fins esportivos, de lazer, convívio, etc.

O local atualmente encontra-se sem uso, servindo apenas para meios inapropriados, tornando-o um lugar inseguro principalmente na parte da noite. O entorno é composto por habitação social, que requer uma área de lazer e convívio. A inclusão de um novo espaço proporcionará maior circulação e permanência de pessoas no local, valorizando o bairro e transformando-o em um lugar mais habitado.

O terreno possui uma área de aproximadamente 18.458,84m², com 48,00m de largura por 400,00m de comprimento no seu maior lado. Na área existem três edificações a serem preservadas e restauradas.

Inaugurada em 1949, a estação ferroviária de Afogados da Ingazeira foi a última da Estrada de Ferro Central de Pernambuco, no final do ano de 1996, a estação foi desativada, atualmente encontra-se sem uso e abandonada.

A concepção da importância do lugar para a cidade, de manter viva a história daquilo que fez parte do desenvolvimento da cidade, formou conceitos que conduz o projeto. Revitalizar um bem de patrimônio histórico e cultural, criar espaços de convívio para as pessoas, buscar meios atrativos como esportes e lazer, tornar uma área segura para todos, possibilitar o contato com a natureza através de vegetação apropriada, incentivar a interação dos visitantes. 

A ausência de parques urbanos é sentida na cidade, com o intuito de resolver a necessidade de uma área diferente para população, a proposta de um novo parque será de grande importância. Considerando a boa localização do lugar, em meio a habitações e centros educacionais. 

Outro conceito importante é a reabilitação do local, que se encontra abandonado, tornando o lugar, que atualmente é inseguro, habitado no futuro. Os moradores que hoje observam uma área sem uso, poderão contemplar e usufruir de uma nova praça. 

O uso de linhas orgânicas, com conceito em desenho de plantas, provocando leveza e aconchego, proporcionando estética diferenciada e tornando um lugar único. 

Fazendo lembrar e valorizar inclusive, a árvore da ingazeira, que dá nome á própria cidade – Afogados da Ingazeira, assim como propõe-se o nome do parque ora em questão – Parque Ingá. As características morfológicas dessa espécie inspiraram os desenhos de elementos propostos, com os pisos, além da condução do anteprojeto. 

Agenciamento principal foi pensado de modo que retratasse novos trilhos de trem, tendo origem no trilho existente e que se propaga por toda a área trabalhada. Formado por linhas retas e curvas que criam diversos passeios

A proposta foi ocupar toda a área com usos, distribuídos em zonas que se comunicam. Dentre as várias zonas existentes, a que mais se destaca são as áreas de permanência das pessoas, buscando manter os visitantes por mais tempo no local e não servindo apenas de passagem. Outra zona importante para atrair pessoas e que também está bastante presente são as áreas de esportes, com vários usos destinados a todas faixas etárias.

Um dos espaços mais marcantes no anteprojeto, localizado no centro do parque, o espelho d’água foi pensado usando dois conceitos presentes no sertão, mas em distintas épocas, sendo eles, as rachaduras no solo presentes na época de seca e as folhas da árvore Ingazeira

A proposta do Parque Ingá tenta unir conceitos de preservação do patrimônio edificado com uso coletivo ou público de suas áreas adjacentes, num formato de parque urbano. A configuração espacial da cidade de Afogados da Ingazeira facilita ou induz a ideia de um parque para a área em questão, já que a cidade nos apresenta apenas algumas praças.










0 comentários:

Recent Comments