Coluna Tarcízio Leite - Cidades: Retrato Falado

06 novembro Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Estamos vivendo um período crítico nas administrações públicas brasileiras. 

As cidades, em sua maioria estão passando por um verdadeiro caos, onde a construção civil encontra-se paralisadas, não só por falta de recursos financeiros, mas principalmente por falta de regularizações.

Isto vem prejudicando a economia local. Interessante é o abandono de algumas cidades. Não se pode construir e as construções que são liberadas não tem qualquer acompanhamento pelo poder público.

Quando por acaso não têm Alvará de construções, no máximo são interditadas, no entanto, recebendo os valores correspondentes as taxas, são liberadas.

As ruas ficam completamente sujas com entulhos e restos de materiais de construção que se quer estão sendo mais utilizados, e onde está o poder público? Onde está o compromisso com os moradores das ruas que pagam impostos e continuam tendo suas casas invadidas por restos de construções.

Enquanto isto, andem na cidade, e vejam como encontram-se as ruas, quando não são entulhos, são restos de material de construção como: areia, barro, resto de material utilizados, etc. e já que os proprietários nada fazem, o que o poder público faz?

Resto de material de construção em frente as construções, inclusive as paralisadas; pontas de ferro nas calçadas, dentre outras irregularidades que o poder público não fiscaliza ou faz de conta que não ver.

Se o poder publico não cumpre com o seu papel, como cobrar da população o cumprimento das suas obrigações?

Ressaltando que o descumprimento das normas pelo poder publico não justifica o descumprimento pelo cidadão, porém como falta cidadania falta ética e respeito de ambas as partes.

Precisamos começar a discutir políticas públicas voltadas para o desenvolvimento econômico e social do nosso povo e esquecer a paixão política.

Precisamos inclusive entender qual a diferença entre política pública e paixão política, pois os que entendem se fazem de desentendidos e os que não entende prejudica a toda a sociedade.

Na política pública buscamos discutir o desenvolvimento econômico e social das cidades, estados e do país, a grande diferença é que na paixão política as pessoas nada discutem, apenas defendem pessoas e grupos políticos cegamente, independente da razão, apenas pela paixão ou necessidade.

Passado as eleições, é interessante repensar essa paixão que em nada contribui para com a sociedade e acordar para o processo de desenvolvimento do estado e dos municípios.

Por Tarcízio Leite

0 comentários:

Recent Comments