Advogados defendem empresário egipciense e diz que estuda entrar com ação contra o Estado

08 novembro Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


O Blog visitou o Escritório do Empresário do Ramo de Entretenimento João Rodrigues de Lima Neto, que em 29/10/2018, o Sr. João Neto, como é mais conhecido na Capital da Poesia, sofreu uma abordagem da Polícia Rodoviária Federal no município de Pocinhos, na ocasião foi acusado de ser criminoso em diversas redes sociais e blog’s por estar em posse do valor de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais). 

Segundo eles, a abordagem, embora rotineira, ignorou de forma cabal toda a documentação e argumentação apresentada no momento dos fatos e suficientes para comprovar que o referido valor estava destinado a uma transação (compra) a ser realizada no Município de São José da Mata-PB, para a adquirir diretamente com o proprietário de um caminhão pipa.

“Por ser um empresário de sucesso e por estar em posse de tão elevado valor, em espécie, o Sr. João Neto dirigia-se ao município acompanhado de seu segurança, único proprietário da pistola .40 municiada e um carregador de pistola .380 com 17 (dezessete) munições intactas, conforme confessou o motorista ao ser ouvido pelos policiais. Ressalta-se que o empresário desconhecia completamente a ilegalidade da arma apreendida e não teve qualquer envolvimento com sua aquisição.
Apesar de todas as argumentações e documentações apresentadas os Policias Rodoviários insistiram em acusar e as redes sociais em macular o nome do empresário, sem se importar com as drásticas consequências que tais acusações – vazias e sem provas – poderiam trazer para sua ilibada vida pessoal e profissional.” Pontuou Dr. Adalberto Junior, advogado da Empresa.

Ainda relatando ao blog Dr. Ricardo Siqueira disse: ”Após seis horas sem que fosse permitido nenhum contato com familiar ou advogados, à meia noite e trinta os patronos do empresário o localizaram detido no plantão policial da cidade de Esperança-PB, sendo tratado como um criminoso, muito embora todas as provas da origem lícita dos objetos apreendidos já houvessem sido apresentadas. Tanto é assim que todos os objetos – exceto a arma que não pertencia ao empresário – foram devolvidos ao final das investigações.
O Sr. João Rodrigues de Lima Neto, cidadão sem qualquer antecedente criminal, não participa e jamais participou de qualquer atividade criminosa, uma vez que sempre prezou pela transparência e legalidade de todas as suas transações comerciais.” Pontuou Dr. Ricardo Siqueira.

De acordo com os advogados do empresário, a devolução dos objetos, bem como todas as provas apresentadas são suficientes para demonstrar que a conduta do empresário não é criminosa, uma vez tratar-se de rotineira transação comercial, tudo conforme será cabalmente demonstrado ao decorrer do caso.


Todos esses fatos foram comprovados através de farta documentação apresentada ao amigo Marcello Patriota.

Os advogados estudam a possibilidade do Empresário e cidadão João Neto interpelar o Estado por dano moral na Justiça, contra o estado. 

0 comentários:

Recent Comments