Coluna O Linguarudo - Não Vou Mentir Para Agradar (19/10/2018)

19 outubro Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


MPE vai apurar suspeita de doações ilegais à campanha de Bolsonaro - O Ministério Público Eleitoral (MPE) vai apurar a suspeita de que empresas privadas estejam fazendo doações ilegais para a campanha do candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL). Pelo menos dois pedidos de investigação já foram protocolados nesta quinta-feira (18) na Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE). A expectativa é que outras representações sejam apresentadas diretamente ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). De acordo com reportagem publicada ontem (18) pelo jornal Folha de S.Paulo, empresas que apoiam Jair Bolsonaro estariam pagando pelo serviço de disparo de mensagens pelo WhatsApp a fim de favorecer o candidato Jair Bolsonaro.

Haddad pede que TSE convoque WhatsApp para investigar crime eleitoral - O candidato do PT ao Planalto, Fernando Haddad, pediu que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) convoque "imediatamente" o WhatsApp para investigar o disparo de mensagens em massa, por meio do aplicativo, com informações falsas contra sua candidatura. De acordo com o petista, é preciso identificar, ainda antes do segundo turno, as empresas que compraram esses pacotes de distribuição em massa, o que configuraria, na sua avaliação, "crime eleitoral" por parte da campanha de Jair Bolsonaro (PSL).

Bolsonaro diz não ter controle sobre ação de empresas no WhatsApp - "Eu não tenho controle se tem empresário simpático a mim fazendo isso. Eu sei que fere a legislação. Mas eu não tenho controle, não tenho como saber e tomar providência", afirmou. Ele sugeriu ainda que essas ações possam estar sendo feitas por pessoas de esquerda para prejudicá-lo. "Pode ser gente até ligada à esquerda que diz que está comigo para tentar complicar a minha vida me denunciando por abuso de poder econômico", disse ao O Antagonista.

Juntos – Se o PSOL criou a modalidade da candidatura coletiva, e logrou êxito na empreitada através das Juntas, os deputados estavam dizendo que o PSB teve a sua modalidade de candidatura coletiva, pois a votação de Gleide Ângelo permitiu que Waldemar Borges, Isaltino Nascimento, Romário Dias e Aluísio Lessa pudessem renovar seus mandatos. Os mais de 412 mil votos de Gleide elegeram cinco deputados pela Frente Popular. (Edymar Lira)

Aristides Santos discorda de fusão nos ministérios – O presidente da Contag, Aristides Santos, irmão do deputado federal eleito Carlos Veras (PT), presidente da CUT-PE, acha que a proposta de Bolsonaro de fundir o Ministério da Agricultura com o do Meio Ambiente “não dará certo”. E vai provar que está com a razão.

Augusto César diz que vai seguir o coração: ‘Sou Jair Bolsonaro’ - O deputado estadual serra-talhadense, Augusto César, do PTB, ‘abriu o seu coração’ nesta quinta-feira (18) durante o programa Frequência Democrática, na rádio Vila Bela FM, e confessou que irá votar no presidenciável Jair Bolsonaro, do PSL. César, que contou com o apoio do prefeito Luciano Duque na campanha eleitoral, admitiu ter votado no petista Fernando Haddad no primeiro turno, mas mudou de postura e votará no candidato da extrema direita.

0 comentários:

Recent Comments