Coluna Tarcízio Leite: dinâmica da evolução cultural

17 agosto Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Temos hoje um fato curioso na sociedade brasileira. Enquanto cresce o número de bons profissionais, o número de analfabetos funcionais continua em grande proporção.

De acordo com o que se apresenta, para cada três brasileiros, dois são analfabetos funcionais.

Se procurarmos analisar o comportamento da sociedade, podemos evidenciar estes fatos de forma clara.

A cada ano, as Universidades mandam para o mercado centenas de profissionais da área da construção civil, como arquitetos e engenheiros com capacidade para projetar e construir imóveis cada vez mais modernos e aconchegantes.

Porém não falta mercado de trabalho para profissionais desta área, pois as construções, não só exigem como os seus proprietários são cada vez mais exigentes.

No entanto, é assustador o número de pessoas que, na maioria das vezes exigem ambientes em suas residências, no entanto não conseguem assimilar para que servem.

Este é um dos aspectos que percebemos que a educação não consegue acompanhar o avanço do crescimento econômico.

Só a título de exemplo, casas e apartamentos são construídos com sala de som, sala de televisão, sala de jogos, sala de jantar, salas de espera e tantos outros espaços e as mesmas pessoas que tem o recurso financeiro para construir não tem ideia da utilidade destes espaços.

Uma casa com todos estes ambientes bem definidos, as pessoas ainda se reúnem em um único ambiente para fazer reunião, conversar, assistir televisão, estudar ou usar aparelhos sonoros.

O que mostra que não se consegue se quer assimilar a diferença entre educação e cordialidade, educação e conhecimento ou até mesmo educação e respeito.

O que teríamos como definição de cordialidade: a manifestação de simpatia, pessoa simpática, tratamento afetivo;

O que teríamos como definição de conhecimento: ato de perceber ou compreender por meio da razão e/ou da experiência;

O que teríamos como definição de respeito: Respeito pode ser considerado um sentimento específico de consideração pelas qualidades reais do respeitado.

Por exemplo, respeitar o espaço do outro, respeitar a individualidade do outro, dentre outros.

Isto existe? Na realidade o que vemos são pessoas cordiais, simpáticas com estranhos, com a família, são poucos os casos que temos qualquer uma destas situações.

Concluindo, o que consideramos mais importante na sociedade de hoje? Simpatia para com estranhos? Compreender o contexto das situações? Ou respeito?

Se analisarmos estes aspectos, podemos perceber que apenas a preocupação com a simpatia está em evidência, pois não conseguimos perceber o respeito, principalmente dentro da família.

Precisamos refletir sobre estes aspectos, porque? É simples. Quem se sentiria confortável em ter o seu espaço, o seu direito desrespeitado?

E o que faremos? Analisemos:

Respeitamos a individualidade do outro?

Respeitamos o espaço do outro?

Ou simplesmente tentamos ser simpáticos, ser cordiais com as pessoas fora do nosso convívio, tentando mostrar que somos educados?

Ou conseguimos realmente respeitar, principalmente as pessoas mais próximas, as pessoas que convivemos no dia-a-dia, a nossa família por exemplo? 

Quando digo respeitar, me refiro ao respeito no sentido lato da palavra: respeitar o espaço e a individualidade do outro.

E o que isto tem a ver com educação?

No meu entendimento, tudo, pois não considero educação o simples fato de saber ler escrever e contar, mas a moral e o civismo (moral e cívica), isto pode estar fora de moda, e até acredito que estar mesmo, pois se estivesse na moda a sociedade teria uma postura diferente.

Porém vale ressaltar que esta educação a que me refiro não depende da escola, mas da família onde devemos aprender o respeito, porém o que vemos é o desrespeito a individualidade.

No entanto, se dentro da família não aprendemos a escutar, conversamos todos ao mesmo tempo, assistimos televisão e ao mesmo tempo nos reunimos para conversar em frente a televisão e não respeitamos quem estar assistindo, como cobrar que a criança ao chegar na escola respeite o espaço do professor, do seu colega, enfim das outras pessoas se estes são os exemplos recebidos por sua família?

São coisas simples e que damos pouca importância, porém analisemos friamente o nosso comportamento e o reflexo na família, escola e na sociedade de uma forma geral.

0 comentários:

Recent Comments