PE: Mais de 400 casos de dengue em uma semana

26 março Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Pernambuco registrou mais de 400 novas notificações de dengue em uma semana, o que representa um aumento dos casos possíveis da doença em 19,5%. Segundo dados dos boletins da Secretaria Estadual de Saúde (SES), até o último dia 10 de março eram 2.103 registros da arbovirose e, sete dias depois, o número saltou para 2.515. Até o momento, 330 foram confirmados e 652 descartados.

De acordo com o médico Carlos Brito, consultor para arboviroses do Ministério da Saúde, esse já era um ciclo “esperado”. “Nos últimos 30 anos, tivemos epidemias de dengue em um espaço de três a quatro anos. Em 2015, houve uma epidemia de zika. Em 2016, de chikungunya. Ano passado, não teve um grande surto. Então, já se esperava que esse fosse ser o ano de um surto de dengue”, explicou. Mesmo 2017 não tendo epidemia de alguma arbovirose específica, os casos continuaram acontecendo naturalmente, ainda que em menor frequência. E agora, o ciclo de doenças deve recomeçar.

Apesar da alta considerável entre as duas últimas semanas, a Secretaria Estadual de Saúde informa que a comparação do acumulado do ano com o mesmo período de 2017 tem redução de 19,9% em relação aos casos suspeitos. A gestão ainda justificou que o aumento pode refletir dados que chegaram de semanas anteriores.

Confirmações e óbitos

O relatório das arboviroses também trouxe os primeiros resultados confirmatórios das notificações de zika. Dos 81 pacientes com suspeita desta doença, 13 foram positivados. Os achados só confirmam a continuação da circulação desse vírus. A SES informou que dos 13 resultados, um foi pelo método de PCR (que aponta uma infecção recente) e os outros 12 foram realizados por meio de teste de sorologia (que consegue resgatar a memória imunológica, ou seja anticorpos ao vírus). Para os 12 casos, a SES solicitou investigação dos municípios para averiguar quando deve ter sido a infecção. Todos os testes foram feitos no Lacen Pernambuco. Em relação à chikungunya, já são 365 notificações, sendo 33 confirmados e 155 descartes.

A lista de óbitos suspeitos também vem crescendo. Há uma semana eram cinco. Agora, são seis. A última morte que pode estar relacionada à dengue, zika ou chikungunya, foi a de uma mulher de 58 anos, natural de Goiana, na RMR. A morte aconteceu em 13 de março. Até agora, não há confirmação de que patógeno específico pode estar relacionado dos falecimentos.

Controle

O Recife deve receber em breve uma demanda de mosquitos estéreis para ajudar no combate às arboviroses. A técnica, desenvolvida pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e a Biofábrica Moscamed, consiste em esterelizar os machos por meio da radiação nas últimas fases de desenvolvimento do inseto. Quando soltos na natureza, cruzarão com as fêmeas gerando ovos inúteis, que nunca chegarão a se desenvolver. A técnica já é utilizada em outros países e deve ser implantada nos bairros da Mangabeira, Macaxeira e Morro da Conceição, escolhidos pelo histórico preocupante de infecções, e por serem geograficamente mais fáceis de comparar os resultados do uso dos mosquitos. (Folha PE)