Organização suspeita de sonegação fiscal atuava em cidades como Afogados, Arcoverde e Salgueiro

19 setembro Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


A Polícia Civil de Pernambuco informou, na manhã desta terça-feira (19), que a organização criminosa desarticulada pela ‘Operação Destinos Cruzados’ é chefiada por donos de duas transportadoras do Grande Recife, responsáveis por sonegação e outros crimes tributários.

Um deles está entre as sete pessoas presas, de um total de oito envolvidos procurados. O outro proprietário de empresa encontra-se foragido. Na ação, os agentes apreenderam quatro caminhões, dinheiro, computadores, uma arma e documentos.

De acordo com o delegado Nelson Souto, gerente da Diretoria de Polícia Especializada, a organização costumava praticar crimes envolvendo notas fiscais. “Eles tiravam as notas para uma empresa que não existia e desviavam as mercadorias para outra firma. Os compradores envolvidos com o grupo pegavam os produtos que estavam irregulares”, explicou.

Souto ressaltou que auditores da Secretaria da Fazenda de Pernambuco realizam uma varredura em empresas, como mercadinhos, localizados em seis cidades do estado: Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, Vitória de Santo Antão, e Pombos, na Zona da Mata, além de Salgueiro e Arcoverde, no Sertão, e Bom Conselho, no Agreste. Um noticiário da Rede Globo também citou Afogados da Ingazeira. O delegado afirmou, ainda, que a polícia acredita que a organização provocou grande prejuízo aos cofres públicos. “Esse montante está sendo calculado e será informado na quarta-feira”, comentou.

A ‘Operação Destinos Cruzados’ cumpriu também 17 mandados de busca e apreensão, além de cinco de condução coercitiva, quando a pessoa é levada para prestar depoimento.

Entre os crimes tributários atribuídos ao grupo estão ocultação de notas fiscais, emissão de notas fiscais em desacordo com a realidade, ocultação de mercadorias transportadas, desvio de destino de produtos comercializados, além de embaraço à fiscalização tributária. Segundo a polícia, o grupo abria e fechava empresas e tinha participação em corrupção.

Segundo a polícia, estão sendo realizadas diligências em mais 21 estabelecimentos comerciais, para verificação de regularidade cadastral e das mercadorias existentes em estoque. A investigação abrange também indícios de operações comerciais envolvendo empresas “laranjas” e “filtros”, simulações e utilização de créditos fiscais irregulares.

A ‘Destinos Cruzados’ foi a 34ª operação de repressão qualificada realizada este ano pela Polícia Civil de Pernambuco. Os agentes contaram com apoio da Secretaria da Fazenda. A investigação teve comando da Delegacia de Crimes Contra a Ordem Tributária (Deccot).

Cem policiais civis, entre delegados, agentes, comissários e escrivães, participaram dos trabalhos. Eles contaram com apoio de 74 auditores da Secretaria da Fazenda estadual. A corporação usou uma central de monitoramento remoto, um caminhão para remoção de mercadorias apreendidas e 31 viaturas. Os presos e o material apreendido seguiram para o Grupo de Operações Especiais (GOE), na Zona Oeste do Recife. (G1 PE)