Lula diz que foi condenado por “mentira inventada pela PF, MPF e Moro”

27 agosto Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Ao aproveitar a passagem do ex-presidente Lula (PT) pela Bahia através da Caravana Lula Pelo Brasil, a TVE Bahia gravou uma entrevista exclusiva com o petista, pré-candidato a presidente em 2018, nos estúdios da emissora no bairro da Federação, em Salvador. Nos trechos exibidos nas redes sociais da emissora, Lula ataca a Lava Jato, o judiciário e a Rede Globo de Televisão.

Lula parte pra cima também do juiz Sério Moro. “Eu faz um esforço grande para aguentar a marimba, a ter a vida política que eu tenho e de repente eu ser condenado por lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, por uma mentira inventada pela Polícia Federal, pelo Ministério Público da Lava Jato e o juiz Sério Moro que aceitou o processo. O moro dá uma sentença que diz que o apartamento não é meu, mas me condena a nove ano e meio”, diz.

Em um dos teasers, Lula aparece com fala do que considera uma necessidade da democratização do judiciário. "Nós precisamos democratizar o judiciário (...). [Um juiz] se ele quiser fazer política ele aposenta a toga, entrar num partido político e fazer campanha a vontade. Mas enquanto ele é juiz ele não tem que ficar fazendo formação de opinião pública, ficar olhando pesquisa. Ele tem um cargo vitalício para ele votar de acordo os autos do processo. Não é o que acontece no Brasil hoje".

Apesar de sempre criticar a TV Globo, no bate papo Lula diz não ter nada pessoal contra a emissora. “Nós precisamos diversificar as pessoas que tem acesso a comunicação. Não pode ser do jeito que é hoje. Eu não tenho nada contra a Globo pessoalmente, com a programação, não tenho nada, não dá pra Globo querer influenciar as eleições políticas no País. Se a Globo quiser ter opinião política ela tem o editorial no seu jornal, na televisão, e diga qual é a posição deles. Agora na informação eles tem que ser honestos”.

Nas demais postagens da TVE Bahia nas redes sociais, Lula se posiciona favorável ao financiamento público de campanha e afirma ser necessário tirar o poder econômico das campanhas eleitorais.

O bate papo foi conduzido pelo escritor e crítico de cinema, Pablo Villaça. A íntegra da entrevista será exibida na noite deste domingo (27) do canal estatal, mantido pela secretaria da Educação do governo do Estado.