Homenagem a Severino Cassiano “Biu Doido” (Em memória)

03 julho Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Biu preparou seu roçado
Brocando na terra quente
Sonhando com muita chuva
Tinha o olhar no nascente
Uma torre se formava
Ele se preocupava
Porque não tinha semente

Achou Walfredo Siqueira
Caminhando pela rua
Que além de ter prometido
Fornecer semente crua
Quis de Biu ter uma prova
Perguntou: “A terra é nova?”
Disse: “da idade da sua!”

Biu fez uma serenata
Na calçada de seu Né
Tocando em um dos tonéis
Que se encontravam de pé
Seu Né disse: “por favor 
Não bata nesse tambor
Que eu lhe pago, quanto é?”

Depois de pagar falou:
“Pode ir embora daí”
Biu disse batendo em outro:
“Você pagou esse ali
E quanto vai me pagar
Pra hoje não mais tocar
No tambor que está aqui?”
...
Arlindo Lopes “Pirraia”

Estes versos fazem parte do Livro/Cordel: “O Genial Biu Doido”, do poeta e cordelista Arlindo Lopes “Pirraia”.

Foto do arquivo pessoal de Edileuza Vasconcelos