Social Icons

terça-feira, 20 de junho de 2017

Yane Marques participa de projeto do COB

Depois de uma vida dedicada ao esporte, um horizonte de dúvidas: o que fazer após a aposentadoria? Seja para quem já parou ou para quem ainda pretende competir por algumas temporadas, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) oferece o Programa de Carreira do Atleta (PCA) para ajudar nesta transição. Nesta terça-feira, nove dos 16 inscritos na quinta turma estiveram na sede da entidade para o lançamento do projeto.

Na abertura do evento, feita pelo general Augusto Heleno Ribeiro, foram exibidos um vídeo em homenagem aos que competiram na Rio 2016 e outro mostrando depoimentos de ex-atletas e dirigentes. Como este foi produzido há cerca de cinco anos, houve duas gafes: entre os testemunhos estava o de Ricardo de Moura, ex-superintendente da Confederação de Desportos Aquáticos (CBDA) que se entregou à Polícia Federal em abril durante a operação Águas Claras, e o de Marcus Vinícius Freire, que apareceu creditado como diretor executivo de esportes, apesar de já ter deixado a entidade.

Focados no conteúdo desses depoimentos, Aline Silva (luta olímpica), Evelyn dos Santos (atletismo), Fabiana Beltrame (remo), Fernandinha (vôlei), Jade Barbosa (ginástica artística), Luana Bartholo (remo), Tiago Camilo (judô), Thaíssa Presti (atletismo) e Yane Marques (pentatlo moderno) assistam também a uma palestra do campeão olímpico Nalbert, que integrou a primeira turma do projeto – que na época ainda se chamava Programa de Apoio ao Atleta (PAA) -, palavras de incentivo à busca por conhecimento.

Jade Barbosa, de 25 anos, acredita que ainda pode contribuir com a seleção brasileira, mas quer preparar uma transição tranquila para quando chegar a hora de abandonar o alto rendimento.

– Eu nem penso em parar, quero algumas Olimpíadas ainda, só que surgiu a oportunidade. Às vezes a gente tem um preconceito de plano de carreira ser para quem está acabando, mas acho que não, que quanto mais cedo você tiver esse auxílio melhor você vai administrar. A gente fica muito tempo fazendo a mesma coisa e não tem as mesmas oportunidades que as pessoas têm de estudo. Tem que abdicar muito dessa parte, então ter o auxílio de uma equipe competente para saber como lidar, além de ver exemplo de outros atletas, isso fica mais próximo da gente – disse Jade.

Medalhista de bronze em Londres 2012, Yane Marques desacelerou após a Rio 2016. Em janeiro deste ano aceitou o convite para ser Secretária Executiva de Esportes de Recife e vive uma rotina dupla desde então. Acorda às 4h da manhã para treinar e depois vai para o gabinete, de onde diz não ter hora para sair. Mesmo antes do lançamento oficial da turma, Yane a pentatleta tem recebido dicas do coach Antonio Carlos Moreno, que é funcionário do COB, e as têm aplicado em seu dia a dia.
– Já estou fazendo coaching com o Moreno, a gente já tem utilizado isso para otimizar meu trabalho, meu tempo, trabalhar legal. Mas, claro, me apresentar outras coisas. Sei que tenho que continuar me capacitando, Já vou retomar meu curso de inglês. São toques e conselhos que temos aqui no COB e que vale a pena ressaltar. Esse trabalho me dá um sentimento de continuar sendo amparada. Existe vida após carreira de atleta e não é fácil, eles entendem e estão dando esse suporte – disse Yane, que já é formada em Educação Física.

A campeã mundial de remo Fabiana Beltrame já se aposentou oficialmente e após um mês de “férias” decidiu abrir um negócio próprio. Mudou-se do Rio de Janeiro para Florianópolis e juntou-se a outros três sócios para montar um box de crossfit. O empreendimento está funcionando há três meses, e ela espera que o apoio do COB a ajude a se capacitar cada vez mais para as funções múltiplas que exerce.

– Meu marido é ex-atleta também, pensamos o que fazer depois de parar. Aí voltamos para Floripa e decidimos abrir o box. Como não tive esse “destreinamento” citado na palestra, acho que o crossfit me ajudou a desfocar um pouco do remo. Fiquei 19 anos só treinando remo, focada naquilo, e o crossfit me abriu mais o horizonte para novas modalidades. Sou formada em Educação Física, me certifiquei como coach, e hoje trabalho como assistente dos coaches e também na administração.

Além dos atletas citados acima, também integram a quinta turma do projeto Dani Piedade (handebol), Daniele Hypolito (ginástica artística), Érika Coimbra (vôle), Érika de Souza (basquete), Dara (handebol), Henrique Barbosa (natação) e Luciano Corrêa (judô). (G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário