Assembleia de Deus apoia criação de partido pró-família tradicional

19 março Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


Apesar de constitucionalmente igrejas não poderem fundar partidos, a Assembleia de Deus está fomentando a criação do 36º partido brasileiro, o PRC (Partido Republicano Cristão).

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o partido vem sendo articulado pelo deputado Ronaldo Fonseca (PROS), que coordena a bancada de 24 deputados ligados à Assembleia de Deus.

Fonseca explica que o partido já teve 300 mil das 486 mil assinaturas exigidas pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para criação de um novo partido, em ao menos nove Estados.

O número deve ser alcançado facilmente com o apoio da Assembleia de Deus, a maior igreja evangélica brasileira, que agrega 30% dos 42 milhões de fiéis, de acordo com o Censo 2010.

A criação do partido vem sendo fomentada com o apoio da Assembleia de Deus Ministério de Belém, que tem sede em São Paulo. A ala da igreja controla a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil.

O secretário-geral do partido, que já foi definido, será o deputado Paulo Freire (PR), filho do pastor José Wellington Bezerra da Costa, líder da Assembleia de Deus Belém.

O coordenador político da convenção das Assembleias, Lélis Marinhos, diz que a principal bandeira do PRC será a família. "Aquela chamada tradicional, com o princípio básico bíblico da família hétero".

O deputado Ronaldo Fonseca espera que o PRC saia com uma bancada de pelo menos 20 deputados, que poderão trocar de sigla em 2018 durante a janela da Justiça, que autoriza mudanças partidárias sem sanções eleitorais.