Social Icons

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Serra Talhada a terra das mulheres bonitas

Enquadrar-se no padrão de beleza ideal não é fácil. Ser dona de medidas como 90 cm de busto; 60 cm de cintura e 90 cm de quadril não é para todas as mortais. Mas uma cidade no interior do Pernambuco se destacou por sediar várias destas beldades. Serra Talhada foi o município que mais elegeu Misses no estado, sendo três consecutivas: Cilene Bezerra, em 1974; Maria de Fátima Mourato, em 1975; Matilde de Sousa em 1976 e, agora, 40 anos depois, elegeu a sua quarta candidata: Tallita Martins, estudante de Direito de 19 anos, que ganhou, no último mês, a coroa de Miss Pernambuco.

“Não existe segredo de beleza. É a essência de cada uma e a beleza sertaneja forte que Tallita tem e nós tínhamos”, contou Matilde, hoje com 56 anos, em bate-papo com o Blog João Alberto e no seu primeiro encontro com sua sucessora. Foi Matilde quem levou o tricampeonato para Serra Telhada numa época em que os concursos de Miss eram realizados em um grande evento no Geraldão. Nos bastidores da final do concurso, Matilde, à época com 16 anos, chegou a ter seu penteado “assanhado” pela mãe de uma candidata, antes de subir ao palco. Por sorte, a sabotagem não tirou o título da jovem. “Lembro como se fosse hoje meu pai na plateia chorando de emoção quando ouviu o narrador dizer que o tri ia para Serra Talhada”, recordou.

O reinado de Matilde, ela guarda com carinho e coleciona momentos marcantes deste período. “Um dia, o organizador do Miss, Paulo Elso, me chamou para um evento informal e me levou para um asilo no Ibura. Fui recebida por várias idosas que estavam com cadeiras de roda doadas com o cachê de um dos meus desfiles. Foi inesquecível”, contou Matilde que doou outros tantos cachês que ganhou como Miss.

À época de Matilde, Cilene e Maria de Fátima, Serra recebia as misses com festa e carreata. E, no começo deste mês, a tradição se repetiu para receber Tallita. “Eu cresci ouvindo meus pais e avós contando a história das misses de Serra. Então foi muito emocionante para mim participar deste momento”, lembrou Tallita. “Acho que tinham umas 70 carros me acompanhando pela cidade e, em seguida, recebi homenagem na Câmara Municipal” , completou. A jovem de 19 anos, assim como Matilde, foi estimulada a entrar no concurso por uma professora da escola e ambas chegaram, sem pretensão, ao posto tão desejado por tantas mulheres hoje e àquela época.

Apesar dos 40 anos que separam o título de Matilde e o de Tallita, as duas têm muito em comum. São lindas, com traços fortes e olhos marcantes, além de simples e engajadas, fatores que pesaram na escolha do título “ontem e hoje”. Atualmente, Matilde é assistente social, mãe de duas filhas Regielle e Danielle e avó de Guilherme, de 11 anos, e dos gêmeos Luiz e Joaquim de cinco meses. Mora em Triunfo e , vira e mexe, está no Recife, caducando a sua prole. ” Hoje quero me dedicar a eles, ao meu trabalho. Já tive o meu tempo, agora só o guardo na lembrança”, disse.

Já Tallita está às voltas com a disputa do Miss Brasil, marcada para o dia 1º de outubro, no Citibank Hall, em São Paulo. Concilia o seu tempo com o curso de Direito, as aulas de inglês, academia e o namorado Mateus Nogueira, que, por sorte, apoia e torce pela bela companheira. Tempos e vida distintas de duas misses cheias de brilho e simpatia e que, como diz o ditado, nunca perderão as suas majestades. (Diário de Pernambuco/ O povo com a notícia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário