Social Icons

domingo, 28 de agosto de 2016

Dois jovens escritores pernambucanos, um deles do PAJEÚ, na Bienal do Livro de São Paulo

É a 24º vez que a Bienal Internacional do Livro de São Paulo faz o mercado literário nacional e internacional se voltar para ela. Realizado pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), o evento, que começou sexta (26) e vai até 4 de setembro de 2016, no Pavilhão de Exposições do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana), reúne as principais editoras, livrarias e distribuidoras, e traz ao público atrações exclusivas, com a presença de autores nacionais e internacionais, lançamentos de livros, tardes de autógrafos, oficinas, brincadeiras e debates. Nas atrações, entre os escritores pernambucanos que são destaque, estão dois jovens estreantes, Carlos Melo e Abrahão Filho.

Carlos Melo, recifense de 21 anos, lança seu livro Aaron Fischer e a prova dos elementos no espaço Pernambuco Continente Literário, no estande O39, organizado pela Bienal do Livro de Pernambuco. A obra traz uma trama ficcional não muito comum com as recentes produções do Estado, envolvendo épocas e personagens da literatura ficcional fantástica.

"Sabemos que é difícil fazer literatura por aqui, assim, reconheço mais ainda o valor da Continente Literário em está nos abrindo este espaço para uma das principais feiras literárias da América Latina", disse o escritor que, mesmo no processo de divulgação do seu primeiro livro, já planeja mais avanços em sua carreira. "Eu quero continuar escrevendo e levando as minhas histórias para mais gente. Este livro mesmo, por exemplo, eu aproveitei minhas insônias para ficar criando personagens e, de uma hora para outra, percebi que eu já estava construindo algo maior", revelou Carlos que estará no estande O39, sexta-feira (2).

Nascido em Brejinho, Abrahão Filho, de 27 anos, fundador do Clube de Leitura Estação das Letras - organização que busca incentivar a leitura de estudantes de escolas públicas no sertão pernambucano -, lançou o livro O Menino dos Copos de Leite, pela editora Chiado, e foi co-autor do livro Antologia Palavras Abraçadas, da Editora Scortecci.

O escritor está na Bienal a convite da Chiado, mas pretende aproveitar a oportunidade para alcançar um novo público que, se não fosse pela abertura de espaço da editora e pelo crowdfunding feito em sua cidade por seus amigos, sua obra não chegaria. "Pra mim é a realização de um sonho, sair do sertão de Pernambuco e ir mostrar meu simples livro em um evento tão grandioso. Em estar junto com tantos outros escritores nacionais e internacionais. É uma grande Vitória", destacou Abrahão, que apresenta uma narrativa que trabalha os simbolismos das simplicidades afetuosas de uma família em O Menino dos copos de leite. (JC Online)

Nenhum comentário:

Postar um comentário