Social Icons

quarta-feira, 20 de julho de 2016

Sinduprom-PE repudia perseguição e ameaças da gestão Sebastião Dias a dirigente sindical

O Sindicato Único dos Profissionais do Magistério Público das Redes Municipais do Estado de Pernambuco (Sinduprom-PE) repudia em nota a perseguição e as ameaças que a dirigente sindical e professora efetiva do município de Tabira, Dinalva Bezerra, vem sofrendo da gestão do prefeito Sebastião Dias (PTB).

Veja a nota:

Afogando em suas próprias irresponsabilidades administrativas, sendo manobrado por um cordão de secretários oportunistas e desesperado com os primeiros resultados das pesquisas eleitorais, que lhe coloca em último lugar no processo sucessório, o referido prefeito voltou a sua ira e seu desespero contra o Sindicato dos Professores e a sua dirigente estadual, que é professora efetiva do município, a professora Dinalva Lima Pereira Bezerra, na tentativa vã de destruir a única organização sindical do município, buscando intimidar, amordaçar, calar, prejudicar e assediar a nossa representante sindical, que tem dado uma grande contribuição na construção do SINDUPROM/PE, em Tabira-PE e em vários outros municípios de Pernambuco.

Imaginamos nós, que grande parte do povo de Tabira-PE, já ouviu falar do ditado popular que diz: “Quer conhecer um homem, dê a ele poder”. O poeta repentista crítico das grandes plateias, gostava sim, de criticar os “outros”, “atirar pedra no telhado de vidro dos outros”, deitando e rolando da miséria alheia. Agora se enforca com as suas próprias mãos, começando a mostrar que é uma pessoa perigosa, intolerante, com práticas antisindicais e antidemocráticas, sem nenhum escrúpulo quando se trata de se manter no poder a todo custo, nem que para isso, tenha que humilhar, maltratar, assediar, menosprezar, tentar destruir as organizações sindicais que não comungam com a sua forma de administrar o município, confundindo a administração pública com a administração de suas fazendas. Quer que o SINDUPROM/PE seja seu capacho, abdique dos direitos da nossa categoria em prol da sua ganância financeira e seus interesses privados, junto com a sua caravana “beija mão de patrão”.

“O governo do Povo” pensa que em Tabira-PE, os cidadãos são idiotas, são “bois de curral”, que se deixam dobrar, botar “canga”, levar chibatada de um homem que agora, se arroga como “o Senhor do Pajeú”, que gosta de manipular sem o mínimo pudor, sem o mínimo escrúpulo, com práticas prepotentes e opressoras só vistas na época da ditadura militar ou nas capitanias hereditárias. 

Ataca o sindicato dos professores, porque o mesmo não baixa a guarda para seus desmandos na Secretária de Educação. Esta foi entregue a uma professora sem as mínimas condições emocionais e pedagógicas para dialogar com os professores e a comunidade escolar, a não ser, debaixo de gritos e ordens severas, que é o que essa senhora sabe fazer bem. Além de ser manipulada e teleguiada por um Super Secretário de Administração prepotente, que obriga professores a assinar papel em branco para assegurar uma possível avaliação por desempenho.

Ora, se quer peitar os professores com a sua arrogância e métodos truculentos, buscando retirar direitos e negar o que nós já adquirimos, pelo menos respeitasse a boa prática organizativa e o respeito à Convenção de 98 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que o Brasil é signatário, em que o governo brasileiro se compromete a respeitar as organizações e os dirigentes sindicais, assegurando a autonomia e a independência das organizações dos trabalhadores. Entretanto, aqui em Tabira essa norma está sendo flagrantemente desrespeitada pelo mandatário local e que, com certeza, terá a resposta dos professores organizados no seu sindicato, bem como, da população que nunca suportou esse tipo de método de perseguição aos professores, principalmente a uma exemplar e nobre companheira, como a professora Dinalva Lima Pereira Bezerra. 

O SINDUPROM/PE continuará a sua luta em defesa da nossa categoria e dos direitos dos trabalhadores, queira o senhor prefeito ou não, pois não devemos a ele, nenhum favor! Lembrando que a liberação da professora Dinalva, da sala de aula conseguida pelo SINDUPROM/PE na última negociação com o Sr. Prefeito, não foi para ela ficasse à disposição do sindicato dos professores, como reivindicamos, e sim, para que ela colocasse no seu lugar, um professor substituto enquanto desempenhasse alguma atividade sindical, ficando o próprio sindicato responsável para efetuar o pagamento do professor substituto, pois todos os sindicatos dos servidores e professores públicos, têm uma quantidade de horas aulas de liberação de dirigentes sindicais, para que os mesmos possam desempenhar seu mandato classista. Em Tabira, temos na legislação municipal esse direito assegurado. Mas agora, o mandatário do município, refém de suas irresponsabilidades políticas e administrativas, virou também um fora da lei, quando não permite que a diretora do sindicato dos professores seja liberada como manda a lei do Plano de Cargos e Carreira dos Profissionais do Magistério. 

Tornamos públicos essa aberração que aconteceu hoje, dia 19 de julho de 2016, para denunciarmos que o Sr. Prefeito, além de não honrar com a sua palavra, rasgando acordos por ele assumido, persegue de forma descarada e autoritariamente quem sempre contribui com a escola pública do município e ajudou a fazer uma Tabira diferente! 

Seguiremos um só caminho, que nos levará a uma terra sem opressores e sem oprimidos e não será esse prefeito mão de ferro, que irá nos calar ou matar os nossos sonhos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário