Social Icons

domingo, 8 de maio de 2016

Pernambuco é tricolor! Santa Cruz conquista o bicampeonato estadual

Foi tenso como convém às grandes finais e no final venceu o time que melhor desempenho apresentou na reta final da competição. Com o 0x0 deste domingo (8), na Ilha do Retiro, o Santa Cruz conquistou o bicampeonato pernambucano diante do Sport, aumentando sua galeria de conquistas estaduais para 29 taças. Se não foi um time brilhante em toda competição, os corais se agigantaram nos mata-matas. Foram três vitórias e um empate com apenas um gol sofrido.

O jogo começou pegando fogo. Com cinco minutos, Luiz Antônio irritou-se com uma isolada de Lelê que quase bateu em Everton Felipe e deu um empurrão no tricolor que ele saiu da área do gramado. Houve muito bate-boca entre os jogadores dos dois times e um cartão amarelo para o volante leonino. Felizmente foi o único lance fora do normal. Os dois times passaram a jogar futebol, cada um dentro de sua estratégia.

O Sport tentou propor o jogo iniciando a marcação no campo ofensivo, mas falhou muito nas tabelas de aproximação. Por isso arriscou várias vezes os chutes da entrada da área, todas sem sucesso. O Santa apostou no seu 4-2-3-1 com o bloco de marcação todo no campo defensivo e as linhas bem próximas. Esse posicionamento deixou os donos da casa com pouco espaço e manteve o jogo preso entre as duas intermediárias e sem finalizações.

Quando teve o contra-ataque, o Tricolor começou usando o lado direito com mais perigo. Numa dessas jogadas que resultou em falta, Tiago Costa mandou no ângulo esquerdo de Danilo Fernandes, que salvou o Leão. Quando parou de trabalhar com Arthur e inverteu para Keno, as jogadas ficaram sem continuidade, pois o camisa 11 não conseguia levar vantagem sobre os marcadores. O Sport teve mais a bola mas usou muito os cruzamentos. Quando finalizou o fez sem força, facilitando a vida de Tiago Cardoso.

Aos seis minutos do segundo tempo, o técnico Oswaldo de Oliveira resolveu mudar: Túlio de Melo entrou no lugar de Vinícius Araújo. A outra mudança aconteceu no posicionamento dos dois laterais. Tanto Samuel Xavier quanto Renê adiantaram-se para auxiliar os meias. Logo aos sete minutos, Everton Felipe arrancou pela direita e chutou rasteiro. Tiago Cardoso defendeu parcialmente e Arthur mandou a escanteio.

De seu lado, o Santa veio mais atrás do que deveria. Os dois ponteiros, Arthur e Keno, jogavam praticamente colados nos dois laterais. Além de chamar o adversário para seu campo, essa formatação não permitia os contra-ataques. Com o time em cima, o Sport foi chegando perto com perigo. Aos 26, Henríquez cabeceou na cobrança de escanteio e Tiago Cardoso fez um milagre. Três minutos depois foi a vez de Túlio de Melo usar a cabeça mas mandar para fora. Na jogada ele reclamou ter sido agarrado por Néris.

Nos últimos sete minutos, o treinador rubro-negro mostrou como o time tem problemas ofensivos ao colocar o capitão Durval como atacante. Para fazer isso ele sacou Everton Felipe para acionar Matheus Ferraz e não desmontar a linha defensiva. Quase funciona já que Durval acertou uma puxeta na trave. Apesar disso, a pressão leonina limitou-se a rifar a bola na área tricolor, que tinha seu sistema defensivo já reforçado por um terceiro zagueiro, Alemão.


Ficha do jogo:

Sport: Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Henríquez, Durval e Renê; Rithely, Luiz Antônio (Lenis), Gabriel Xavier e Mark González; Everton Felipe (Matheus Ferraz) e Vinícius Araújo (Túlio de Melo). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Vítor, Néris, Danny Morais e Tiago Costa; Wellington Cézar, Uillian Correia e Lelê (Wallyson); Arthur, Grafite (Bruno Moraes) e Keno (Alemão). Técnico: Milton Mendes.

Local: Ilha do Retiro. Árbitro: Sebastião Rufino Fillho. Auxiliares: Marcelino Castro e Marlon Rafael. Cartões amarelos: Grafite, Tiago Cardoso, Rithely, Renê, Túlio de Melo e Luiz Antônio. Renda: R$ 497.540. Público: 27.493.

(*) Fonte: NE 10

Nenhum comentário:

Postar um comentário