Social Icons

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Grupo é preso por tentar fraudar concurso da Polícia Militar em PE

Polícia Civil de Pernambuco desarticulou um grupo suspeito de tentar fraudar o concurso da Polícia Militar (PM), que ocorreu na manhã deste domingo (29) em várias cidades de Pernambuco. De acordo com a corporação, a quadrilha tentou burlar o certame com a utilização de pontos eletrônicos para repassar gabaritos a uma pessoa que estava do lado de fora do prédio onde a prova era realizada. O grupo planejava atuar tanto na capital como no interior do estado. Ao todo, 13 pessoas foram presas, incluindo professores, candidatos e o líder do esquema.

De acordo com o diretor metropolitano da Polícia Civil de Pernambuco, Joselito Amaral, os professores fizeram as provas relativas às suas matérias e, faltando 15 minutos para o fim do tempo estipulado, saíram e entregaram os gabaritos para o líder, que estava dentro de um carro, em local não divulgado, no Recife.

Segundo o policial, o concurso não foi prejudicado, pois os agentes prenderam o cabeça da operação antes que pudesse repassar os gabaritos aos candidatos que seriam beneficiados com a fraude. Amaral acrescentou que a regra que estipula que os candidatos só podem deixar os locais de prova faltando 15 minutos para o fim, foi criada, justamente, para pegar esse grupo que já vinha sendo investigado.

"As famílias [dos candidatos] têm muito a lamentar. Pais e mães que estiveram aqui e presenciaram seus filhos sendo presos por fraude, justamente em um concurso de pessoas que vão tentar combater a criminalidade", afirmou Joselito Amaral. Os suspeitos foram pegos em várias cidades do estado, mas a maioria deles na Região Metropolitana do Recife.

A polícia informou que as investigações continuam e outras pessoas podem estar envolvidas. Além dos presos, os agentes apreenderam modernos pontos eletrônicos e um Honda Civic prata, onde estava o líder do esquema. Todos os presos serão ouvidos e, na segunda-feira pela manhã, serão encaminhados para audiência de custódia. Todos responderão pelo crime de fraude.

Coordenada pela Polícia Civil, com o apoio da Polícia Militar, as investigações tiveram início há pouco mais de um mês. O material apreendido foi encaminhado para a sede do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil (GOE), Cordeiro, Zona Oeste do Recife. Mais informações da 'Operação Ponto Eletrônico' serão divulgadas nesta segunda-feira (30) na sede da Secretaria de Defesa Social. Ao todo, 50 policias civis e 162 PMs trabalharam na operação.

Concurso

Com mais de 121 mil inscritos - cerca de 80 candidatos concorrendo a uma única vaga – este concurso da Polícia Militar é tido como um dos maiores já vistos no estado. Eles vão disputar as 1.500 vagas disponíveis. A relação de candidatos por vaga é quase o triplo do número de concorrentes a uma vaga do curso de Medicina da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 2014. Na época, havia 30,2 candidatos disputando uma das vagas no curso da universidade. (G1 PE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário