Social Icons

domingo, 3 de abril de 2016

Nos anos 50 era inaugurada a Diocese de Afogados da Ingazeira

Em 13 de janeiro de 1957, domingo, o Jornal do Comercio do Recife, em Notícias do Interior, publicava:

A cidade dos Afogados da Ingazeira no interior de Pernambuco, viveu um de seus grandes dias ultimamente, quando ali se realizou, a 1º de janeiro de 1957, a festa do padroeiro Bom Jesus dos Remédios. Essa festa vem ocorrendo há vários anos; porém a deste ano se revestiu de um brilhantismo muito maior e mais justificável, em virtude de circunstâncias especiais, que a assinalaram: é que, recentemente, foi criada a Diocese dos Afogados da Ingazeira, com sede naquele município. E isto deu motivo as mais justificadas expansões de alegria e contentamento, por parte dos afogadenses, em cujo número - pelo nascimento, se inclui o Monsenhor Arruda Câmara, que é uma das figuras de grande expressão no clero e na política brasileira".

"Aspecto Festivo da Cidade - Encravada no alto sertão de Pernambuco, Afogados da Ingazeira é uma das mais prósperas cidades daquela região; constituindo, ainda, um dos mais fortes e inexpugnáveis bastiões da fé católica em nosso Estado. E na sua fisionomia festiva e alegre levava-se a efeito mais uma homenagem ao padroeiro - o Senhor Bom Jesus dos Remédios, comemorando-se a criação da diocese afogadense - fruto da persistência, do dinamismo e, sobretudo da fé de Monsenhor Arruda Câmara, que já foi cognominado, justamente, de 'Bispo do Sertão' pernambucano.

O Pontifical Solene, da festa de Bom Jesus dos Remédios, que foi celebrado por Monsenhor Arruda Câmara, em meio ao maior contentamento do povo.

O Camareiro Secreto de Sua Santidade, o Papa Pio XII, tem conseguido - com a sua persistência e seu amor à gleba onde nasceu - grandes benefícios e melhoramentos, que se traduzem pela instauração da Comarca, a Escola Normal, os edifícios dos Correios e Telégrafos, da Maternidade e Hospital (este, em vias de conclusão); o serviço de abastecimento d‘água, quase concluído; a chegada da Estrada de Ferro e muitos outros, de alta relevância para o próspero município sertanejo.

A Nova Diocese - Como já se disse, a criação da nova Diocese foi fruto da persistência e da tenacidade de Monsenhor Arruda Câmara que conseguiu com os argumentos indispensáveis dos fatos, interessar aos altos círculos eclesiásticos e canônicos do Vaticano naquela realização; tendo S.Santidade o Papa Pio XII assinado a respectiva Bulla no dia 2 de julho de 1956.

Como criador virtual da Diocese de Afogados da Ingazeira, Monsenhor Arruda Câmara é, também, o organizador do Patrimônio Diocesano. Tanto assim que já obteve dos poderes públicos, de entidades de classes e de particulares os meios para a construção do Palácio Episcopal e do Ginásio, já equipado e funcionando no edifício da Escola Normal; e bem assim os demais preparativos para a sede do episcopado afogadense.

A Criação da Diocese de Afogados da Ingazeira - Cumpre assinalar - tem despertado um notável surto de desenvolvimento e progresso na velha cidade sertaneja de Pernambuco.

Quando estas notas estiverem sob as vistas dos leitores, provavelmente já se terá tido conhecimento da nomeação do primeiro Bispo que, segundo informações de Monsenhor Arruda Câmara (não revelou o nome do titular, porque se trata de segredo pontifício), será pernambucano do interior.

No momento, a diocese está sendo regida por Monsenhor Luiz Sampaio, seu administrador apostólico e vigário capitular de Pesqueira. Esse ilustre sacerdote tem dado eficiente e zelosa cooperação ao preparo e à instalação do novo Bispado; tendo sido alvo de grandes manifestações de simpatia por parte do povo, na festa do dia primeiro. 

Igualmente, Monsenhor Arruda Câmara tem recebido importantes ofertas de materiais e de cousas necessárias à Diocese; merecendo menção especial o artístico Trono Episcopal, confeccionado no Rio de janeiro pelo preço de Cr$ 75.000,00, e doado pelo alto comerciante afogadense José Correia de Siqueira.

A lista de benfeitores, disse-nos Monsenhor Arruda Câmara, será publicada com o balanço das despesas, após a conclusão de todos os trabalhos. Será - frisou - uma prestação de contas aos que, generosa e cristamente contribuíram e vêm contribuindo para a instalação da nova diocese.

Afogados da Ingazeira é uma cidade moderna, com belos edifícios públicos, como o Posto de Saúde, recém-construído pelo secretário Artur Coutinho; o Posto de Puericultura, o Aeroclube, o Grupo Escolar, etc.

Dados sobre a diocese - Essa velha aspiração de Monsenhor Arruda Câmara e do povo de Afogados da Ingazeira foi acolhida benevolamente pelo Santo Padre Pio XII, tendo sido criada em 16 de julho de 1956, em homenagem a Nossa Senhora do Carmo, padroeira do Recife. A Bulla Pontifícia foi assinada no dia 2 daquele mês e ano.

Território - O novo bispo abrange as paróquias dos Afogados da Ingazeira, Itapetim, São José do Egito, Tabira, Carnaíba, Flores, Triunfo, Serra Talhada e São José do Belmonte, num total de nove paróquias, constituindo um terço da Diocese de Pesqueira de que foi desmembrada. Conta com uma população de 220.000 almas.
Patrimônio - O patrimônio da nova Diocese é constituído de mil e duzentas (1.200) apólices rodoviárias do Estado; sendo mil (1.000) doadas pelo Governo Estadual, e duzentas (200) obtidas por 
Monsenhor Arruda Câmara da Associação Comercial e de particulares. Esse patrimônio se encontra à disposição do novo Bispo uma vez eleito e empossado que receberá uma Diocese das mais bem instaladas e dotadas do Estado. 

O Monsenhor Arruda Câmara - Já foi dito, em linhas gerais, que a criação da Diocese dos Afogados da Ingazeira resultou do interesse, da persistência e da fé do Monsenhor Arruda Câmara, que conseguiu convencer a Santa Sé a criar esse Bispado em Pernambuco, com sede na sua cidade natal. Mesmo assim, é preciso que se diga mais alguma coisa, embora sem dizer-se tudo: Monsenhor Câmara tem sido um político a serviço da Igreja e um sacerdote nos altos círculos políticos do país, e dos interesses de Pernambuco e do Brasil. Sua ação tem-se feito sentir em todos os setores: do pastoreio das almas à defesa daquilo que representa para o nosso Estado aos anseios mais justos e dignos, no terreno material. 

E como corolário de toda essa intensa e laboriosa atividade, consegue, ele, para a sua terra, um Bispado, traduzindo na sua transcendência espiritual e no valioso patrimônio material de que se acha dotado".

Nenhum comentário:

Postar um comentário