Chuvas que causaram destruição também tiraram cidades do racionamento no Pajeú

31 março Grupo Roma Conteúdos 0 Comentários


As fortes chuvas que caiaram no sertão do Pajeú provocaram prejuízos, principalmente em São José do Egito com os seus 215 mm. Uma garagem caiu, o muro da AABB cedeu, um poste da rede elétrica e árvores foram ao chão, calçamentos arrancadas, tubulação de esgoto estourada e um pontilhão do Riacho Ipiranga foi arrastado no bairro do mesmo nome. Um carro foi amarrado a um poste pelo proprietário para não ser levado pela força das águas. 

 Os 215 mm foi a maior chuva da história em São José do Egito. Antes a maior chuva registrada no município foi de 114 mm em 2004. Itapetim onde choveu 180 mm e Brejinho com 213 mm, cidades que vinham sendo abastecidas por carro pipa, deverão voltar a ter água nas torneiras. Ontem a noite choveu outra vez em São José do Egito, Itapetim e Brejinho e o Rio Pajeú depois de vários anos, voltou a correr. (Por Anchieta Santos)